Nota conjunta de Secretários(as) Fraternos(as) Nacionais da Juventude Franciscana do Brasil

Nota conjunta de Secretários(as) Fraternos(as) Nacionais da Juventude Franciscana do Brasil: em defesa da

Democracia e em apoio à candidatura de

Luíz Inácio Lula da Silva e Geraldo Alckmin



Cremos “no amor que é a essência da vida, que se exprime de maneira VERTICAL no relacionamento com Deus [...] e de maneira HORIZONTAL no relacionamento dos irmãos e irmãs, de modo especial, com os empobrecidos e oprimidos (1 Jo 4, 20-21)”[1]. Nutridos(as) por este amor, no tocar de nossas raízes históricas, entendemos que a opção evangélica preferencial pelos pobres, sobremaneira, continua a nos convocar e, neste momento particular, a assumir uma postura política responsável e comprometida.

Em sintonia com o Conselho Nacional do Laicato do Brasil (CNLB), Conselho dos(as) Religiosos(as) do Brasil (CRB), Comissão Brasileira de Justiça e Paz (CBJP), diversos Bispos da caminhada e Entidades Franciscanas, nós, Secretários(as) Fraternos(as) Nacionais da JUFRA do Brasil, lideranças comprometidas no atravessamento de diferentes momentos históricos nacionais, da ditadura à situação atual, passando pelo processo de redemocratização do país, em comunhão com tantos(as) jovens parceiros(as), em respeito a história construída, firmamos posição no seguimento do Evangelho: pela democracia e em apoio à candidatura de Luíz Inácio Lula da Silva e Geraldo Alckmin nas eleições presidenciais de 2022.

Nessa eleição, não se apresentam apenas alternativas diversificadas em respeito à ordem democrática, enquanto caminhos alternativos ao alcance do bem estar social e justiça ambiental. Infelizmente, estamos diante de desafios socioambientais e alternativas políticas profundamente distintas. Assim, “devemos escolher, de maneira consciente e serena, pois não cabe neutralidade quando se trata de decidir sobre dois projetos de Brasil, um democrático e outro autoritário; um comprometido com a defesa da vida, a partir dos empobrecidos, outro comprometido com a ‘economia que mata’ (Papa Francisco, A Alegria do Evangelho, 53); um que cuida da educação, saúde, trabalho, alimentação, cultura, outro que menospreza as políticas públicas, porque despreza os pobres. Os dois candidatos já governaram o Brasil e deram resultados diferentes para o povo e para a natureza, os quais podemos analisar”. [2]

A favor da Amazônia e dos Biomas, destruídos em escalas desesperadoras; da vida humana em todas as suas fases, com apreço pelo não uso de armas (CCGG art.23, 2); pelos mais de 33 milhões de irmãos e irmãs em situação de vulnerabilidade alimentar (Rede Penssan, 2022); pelas mais de 700 mil mortes em virtude da COVID-19, obtidas também pela negligência do Governo Federal; ao lado do fortalecimento das instituições democráticas, dos mais fragilizados, das minorias desrespeitadas e das mais diferentes classes de profissionais, seguimos unidos(as).

Dito isto, não podemos deixar de recordar nossas posturas e histórias de resistência e luta. Há um tempo, “ficamos sabendo que a JUFRA foi objeto de investigação na época da Ditadura Militar de 1964,  graças às revelações das investigações impetradas após a instalação da Comissão Nacional da Verdade”.  No início da oficialização da nossa caminhada, nos anos 70, em documentos da ditadura, “julgava-se conveniente a observação das atividades da JUFRA”, bem como se indicava “o não incentivo ao ingresso de jovens nessa organização"[3].

Em 2011, na Carta de Guaratinguetá [4], manifestamos a necessidade de “debater, articular e desenvolver trabalhos em que se faça ecoar nossa voz para denunciar todas as formas de opressão e injustiça, e participar das lutas para a construção de uma nova sociedade, a Civilização do Amor, baseada na prática da Justiça Social e da promoção da Paz”.

Em 2018, denunciamos os discursos de ódio e nos posicionamos pela promoção da paz, em documento assinado por todos os membros do Secretariado Nacional e Secretários Fraternos de todos os regionais, no qual chamávamos atenção aos perigos que corria a nossa jovem democracia diante do crescente efeito das desinformações, fake news e discursos de ódio. [5]

Assim, por livre e firme expressão da nossa história, reconhecendo que fazemos parte de processos formativos de inúmeras juventudes ao longo desses mais de 50 anos de história, conclamamos, em especial, todas os(as) jovens franciscanas(os) a responderem com fé e esperança aos desafios que nos estão colocados. A realidade aí está e ameaça a nossa existência. É tempo de posicionamentos firmes, convicções consolidadas e intensificação da luta pela Paz, que é fruto da Justiça. A vocês ex-jufristas, franciscanas(os) seculares e religiosos(as), amigos(as), pastorais, movimentos e parceiros; convidamos todos(as) a estarem conosco neste movimento de esperança, comprometidos/as com a Paz e o Bem.

Por fim, no dia em que celebramos o Espírito de Assis, que ele nos inspire em defesa da democracia e das juventudes. No compromisso assumido, que se renova com as atuais lideranças, damos testemunho do imenso carinho e amor pela JUFRA, que merece continuar sonhando, sem medo de ser feliz!

 

27 de outubro de 2022, dia do Espírito de Assis.

Assinam a carta:

José Douglas Soares Cordeiro de Souza (Secretário Fraterno Nacional | 2019-2023)

Washington Lima dos Santos (Ex-Secretário Fraterno Nacional | 2016-2019)

Mayara Ingrid Sousa Lima (Ex-Secretária Fraterna Nacional | 2013-2016)

Alex Sandro Bastos Ferreira (Ex-Secretário Fraterno Nacional | 2010-2013)

Jackson dos Santos Barbosa (Ex-Secretário Fraterno Nacional | 2004-2010)

Rodrigo Ronelli Duarte de Andrade (Ex-Secretário Fraterno Nacional | 2001-2004)

Lindalva de Fátima Martins (Ex-Secretária Executiva Nacional | 1995-1998)

Edson Armando Silva (Ex-Secretário Executivo Nacional | 1989-1992)

Maria de Lourdes de Paula (Ex-Secretária Executiva Nacional | 1972-1977)



[1] https://drive.google.com/file/d/1SUrZhIwJ2pR38aSfIsckZ2zqWO0KJCTR/view

[2] https://ssb.org.br/noticias/bispos-brasileiros-convocam-a-votar-nao-ha-neutralidade-diante-desses-dois-projetos-brasileiros/

[3]  https://www.jufrabrasil.org/2013/08/documentos-revelados-jufra-foi.html

[4] https://drive.google.com/file/d/0B4ozuYYbwrdHQVRKYWZsbnRQRTQ/view?resourcekey=0-8CLwpeCRpiVV6mpcMWpwVA

[5] https://www.jufrabrasil.org/2018/10/manifesto-de-liderancas-da-juventude.html


Comentários

Unknown disse…
Eu amo ser Franciscana! Estamos mais uma vez do lado certo da história ❤️

DESTAQUES

some text

BLOGS


INSTAGRAM @JUFRADOBRASIL