Perd√£o de Assis 2023

 

           

            Celebrar a Festa do Perd√£o de Assis √© cultivar a miseric√≥rdia dentro da Fraternidade e fazer dessa a√ß√£o um ato de amor constate para com o pr√≥ximo. A transversalidade da Cruz nos coloca no mesmo caminho percorrido pelo jovem Francisco em sua forma de viver o Evangelho. Isso lhe possibilitou um encontro com Deus na pessoa de cada irm√£o e irm√£ presentes na dinamicidade evang√©lica de vida.

            Ao atualizarmos sua mensagem de amorosa compaix√£o enxergaremos o pr√≥prio crucificado, certos de que em cada ato de perdoar n√£o somos o reflexo da nossa pr√≥pria autoimagem mais sim o manifesto carinho de Deus para conosco. Outrora, um retorno para a casa paterna, um v√≠nculo de paz que se perpetua com o cora√ß√£o.

            As adversidades que comprometem a fraternidade podem ser vencidas quando escolhemos abrir m√£o do nosso orgulho e ego√≠smo, afim de exercitarmos uma escuta autentica e encarnada, √© preciso saber ouvir com ouvidos da miseric√≥rdia.

            Individualizar a vida √© se colocar como membro solit√°rio de um largo caminho disperso, o que n√£o √© fraterno, e nem faz botar a sinodalidade em nosso meio. Caminhar juntos (as) tamb√©m √© deixar-se imprensar nas vielas mais dif√≠ceis do caminho da Alt√≠ssima pobreza, √© enxergar quem caminha ao nosso lado e poder chamar-lhe pelo nome. A mensagem principal deste dia em que celebramos o perd√£o √© justamente esse conectar-se com Deus na imagem viva e presente do outro, √© saber reconhecer o projeto de Deus em Francisco que √© querer levar todos ao para√≠so.

            Num mundo marcado pelo individualismo espiritual a nossa meta √© romper com √†s barreiras que impedem a vivencia evang√©lica do encontro com o outro. √Č compreender com o cora√ß√£o que a nossa miss√£o √© estar em constante sa√≠da e indo ao encontro daqueles que mais necessitam de miseric√≥rdia. Perdoar √© um ato de coragem coletivo, pois somente na cruz saberemos o real sentido da palavra perd√£o, as linhas cruzadas nos mostram a reconcilia√ß√£o com Deus que perpassa a fraternidade de irm√£os (as).

            Sem perder o Espirito de ora√ß√£o e devo√ß√£o, poderemos por finalidade na pequenina imagem de Santa Maria da Porci√ļncula, perceber a minoridade do sentido ser fraterno. A virgem Maria e seu filho Jesus aparecem ao menor dos homens desta terra e lhes concedem a maior gra√ßa que √© a de levar-nos ao c√©u.

            O paup√©rrimo Francisco n√£o √© ego√≠sta ao pedido de que todos fossem salvos, ele n√£o quis ir sozinho ao para√≠so mais tomou como prioridade o desejo de seu cora√ß√£o que foi o Dom da fraternidade dada por Deus, perola evang√©lica. Tesouro da amizade social, que √© fraterna e ao mesmo tempo sororal.  

            A condi√ß√£o dada para o alcance da gra√ßa eterna √© apenas uma, a saber, rezar pelo Santo Papa. Neste predileto pedido h√° uma causa maior que nos convida a ser fam√≠lia de Deus e nisto orar com esta inten√ß√£o. O fr√°gil Francisco de Roma tantas vezes vilipendiado pela causa evang√©lica necessita das nossas prof√©ticas ora√ß√Ķes, n√£o de um devocionismo ego√≠sta e sem atitudes, trata-se aqui de assumir com √†s nossas preces a op√ß√£o preferencial pelos mais pobres e pela fraternidade universal e nisto consiste o estar no meio deste e agir com miseric√≥rdia.




Um texto de Felipe Ferreira de Almeida Cruz-Secretario Fraterno do Distrito Sert√£o Regional PE/AL.

Coment√°rios

DESTAQUES

BLOGS


INSTAGRAM @JUFRADOBRASIL