NOTA DE REPÚDIO AO CASO DE TRABALHO ESCRAVO NO RS | JUFRA DO BRASIL

 


NOTA DE REPÚDIO AO CASO DE TRABALHO ESCRAVO NO RS


"É para a liberdade que Cristo nos libertou" (Gl 5, 1)

A Juventude Franciscana do Brasil vem por meio dessa nota demonstrar total repĂșdio diante das Ășltimas notĂ­cias, que denunciam o trabalho anĂĄlogo Ă  escravidĂŁo que afligia mais de 200 pessoas, em vinĂ­colas do Rio Grande do Sul.

Sabemos que não é um caso isolado e que os dados mostram que o trabalho escravo permanece na atualidade como herança maldita do nosso passado de escravidão e fruto desse sistema capitalista que exclui, degrada e mata. Compreendemos que essa triste realidade fere um dos direitos humanos fundamentais e um dos princípios do evangelho de Cristo: a liberdade.

Repudiamos ainda o discurso xenĂłfobo e racista do vereador de Caxias do Sul que destilou Ăłdio e preconceito em discurso contra os trabalhadores do estado da Bahia que migram para trabalhar no sul do paĂ­s.


Diante disso: 

1. Declaramos solidariedade à todos os trabalhadores em situação de trabalho escravo e a todo o povo baiano;

2. Fazemos eco a nota da CNBB que recomenda buscar, para a celebração da missa, "vinhos de proveniĂȘncia sobre os quais nĂŁo existam dĂșvidas a respeito dos critĂ©rios Ă©ticos na sua produção".

3. Reivindicamos que o poder pĂșblico possa apurar e responsabilizar o mais rĂĄpido possĂ­vel as empresas citadas nas denĂșncias;

4. Convocamos nossas fraternidades locais a debater sobre o trabalho escravo na contemporaneidade.

ComentĂĄrios

DESTAQUES

BLOGS


INSTAGRAM @JUFRADOBRASIL