Grito dos(as) Excluidos(as) j√° ecoa pelo Brasil

Na tarde do dia 01¬ļ/09, na sede regional da CNBB, em S√£o Paulo, a coordena√ß√£o do Grito dos/as Exclu√≠dos/as promoveu uma entrevista coletiva para expor os principais temas que movem a a√ß√Ķes do Grito neste ano. Na mesa estiveram Dom Dem√©trio Valentini, bispo de Jales (SP), Gilmar Mauro, da coordena√ß√£o nacional do MST, Jos√© Efig√™nio de Paulo, da coordena√ß√£o da 24¬™ Romaria dos Trabalhadores, e Ari Alberti, da coordena√ß√£o nacional do Grito.

Com o lema: "Pela vida, grita a Terra... Por Direitos, todos n√≥s!", a 17¬™ edi√ß√£o do grito que acontece neste ano aponta para a participa√ß√£o popular em defesa do meio ambiente com respeito aos direitos dos trabalhadores e trabalhadoras. Foi o que ressaltou Ari, ao expor que em 25 estados este e outros temas ser√£o debatidos. “Percebemos que cada vez mais a Semana da P√°tria se torna uma Semana da Cidadania, uma semana de participa√ß√£o popular. A grandeza do Grito dos Exclu√≠dos √© que ele permite que, em in√ļmeros munic√≠pios e regi√Ķes de nosso pa√≠s, aconte√ßam atos, marchas, celebra√ß√Ķes e manifesta√ß√Ķes com os mais diversos temas que afetam a vida dos exclu√≠dos do campo e da cidade”, afirmou.

Um dos temas mais enfatizados na entrevista coletiva foi o novo Código Florestal que tramita no Congresso Nacional. O Grito dos Excluídos não aceita as mudanças propostas pelo relator do projeto, deputado Aldo Rebelo, visto que vai acarretar mais injustiças no campo e na cidade e beneficiar as grandes empresas do campo e os latifundiários.

Dom Dem√©trio Valentini se posicionou dizendo que este √© um tema de enorme responsabilidade que se coloca aos brasileiros. Ele afirmou que necess√°rio dar uma aten√ß√£o especial para a Amaz√īnia, cuja floresta deve ser preservada em 80%. Alertou ainda que √© necess√°rio chegar a um c√≥digo florestal exequ√≠vel, que n√£o criminalize os pequenos agricultores. Para tanto, √© preciso superar os radicalismos para se chegar, com lucidez e equil√≠brio, a compatibilizar os objetivos da prote√ß√£o ao meio ambiente com os objetivos da agricultura.

O membro da coordena√ß√£o nacional do MST, Gilmar Mauro, ressaltou a import√Ęncia da participa√ß√£o dos movimentos sociais na organiza√ß√£o do Grito dos Exclu√≠dos. Para ele, o tema deste ano √© um tema que apela para a realiza√ß√£o da reforma agr√°ria. Em um mundo hegemonizado pela l√≥gica do capital, que transforma tudo em mercadoria, o Grito aponta um novo horizonte, onde os trabalhadores estejam inclu√≠dos, com soberania e justi√ßa social. Ele indica: “Se queremos preservar a natureza para as futuras gera√ß√Ķes e se queremos ter alimento saud√°vel em nossa mesa, o caminho √© a reforma agr√°ria”, enfatizou.

Caminhos para a justi√ßa social tamb√©m foram apontados pelo coordenador da 24¬™ Romaria dos Trabalhadores. Jos√© Efig√™nio de Paulo chamou a todos para participarem da Romaria que acontece no pr√≥ximo dia 7, na Bas√≠lica de Aparecida para debater os temas da Reforma Agr√°ria e Urbana, os altos pre√ßos da energia el√©trica, o tema da educa√ß√£o e dos meios de comunica√ß√£o social. “Sejam todos bem-vindos na Romaria, ser√° um grande espa√ßo de debate sobre a nossa realidade”, finalizou Efig√™nio.


MAIS INFORMA√á√ēES:
Secretaria Nacional do Grito dos/as Excluídos/as:
Ari Alberti (11) 2272-0627 - Karina da Silva Pereira (11) 9372-3919
Assessoria de imprensa: Alexania (11) 7023-8396 - Aldesco (11) 8291-7013
[email protected] - www.gritodosexcluidos.org

Coment√°rios

DESTAQUES

BLOGS


INSTAGRAM @JUFRADOBRASIL