JUFRA, Pastorais Sociais e Entidades Eclesiais emitem Nota de Apoio à Retirada das Tropas Brasileiras do Haiti

A presen√ßa das tropas militares brasileiras no Haiti j√° completou, em junho √ļltimo,oito anos. At√© agora n√£o se tem um balan√ßo profundo dos efeitos reais dessa presen√ßa militar no pa√≠s mais pobre das Am√©ricas. Ao contr√°rio, esta ocupa√ß√£o tem significado, na vis√£o de muitos, a nega√ß√£o de princ√≠pios b√°sicos do direito internacional p√ļblico. Entre eles, o direito √† soberania nacional dentro do quadro transnacional de reciprocidade e solidariedade.

A ocupa√ß√£o militar da Minustah, a t√≠tulo de promover a estabiliza√ß√£o, converte-se em presen√ßa opressora e, portanto, espoliadora. O povo desassistido e oprimido do Haiti n√£o precisa de tropas militares, de interven√ß√£o b√©lica, policiamento, mas sim de ser exonerado do ilegal e ileg√≠timo endividamento externo mantido para o lucro do sistema financeiro internacional especulativo. Al√©m da d√≠vida contempor√Ęnea, existe a d√≠vida hist√≥ria: 45% da d√≠vida externa atualmente paga pelo povo haitiano foram contra√≠dos durante as ditaduras da fam√≠lia Duvalier.

A Comunidade internacional n√£o pode, sob pena de abdicar da pr√≥pria humanidade, ignorar os extremos sofrimentos dos haitianos, submetidos √†s exig√™ncias mutiladoras dos interesses financeiros globalizados, suportando com a fome – como demonstraram as recentes mobiliza√ß√Ķes - e o desemprego, apesar disso, o terror militarizado, onde a opress√£o, os tiros, as armas, a morte substituem o que deveria ser feito: efetiva solidariedade mediante apoio econ√īmico, t√©cnico, socioambiental e cultural para que o pa√≠s possa se reconstruir, tamb√©m ap√≥s o avassalador terremoto de janeiro de 2010.

O Haiti carece, antes de tudo, de apoio t√©cnico para sua agricultura, m√©dicos para sua popula√ß√£o, e de implanta√ß√£o internacional de projetos sociais de sa√ļde, saneamento, educa√ß√£o e pleno emprego, que estimulem em curto prazo sua emancipa√ß√£o.

O Haiti √© integrado por um povo especial, por ser historicamente objeto das opress√Ķes e, com sua luta, haver sido o autor de sua pr√≥pria independ√™ncia. Pois essa for√ßa √ļnica do povo haitiano nunca ser√° amea√ßa a outros povos, mas sim elemento b√°sico de sua emancipa√ß√£o, reconstru√ß√£o e, portanto, part√≠cipe da conviv√™ncia internacional equitativa. O Haiti exige nosso apoio e solidariedade - √© nossa responsabilidade.

Pelo exposto, APOIAMOS o posicionamento p√ļblico do atual Ministro da Defesa, Celso Amorim, de que o governo brasileiro deve iniciar um imediato processo para a retirada das tropas brasileiras do Haiti.

Com este gesto, ratificamos a posição dos movimentos sociais brasileiros, que desde 2004 se posicionam e pressionam o governo brasileiro e a ONU pela retirada das tropas militares do país caribenho.

Haiti: Livre e Soberano! Renascido das cinzas!

Subscrevem:

Jubileu Sul Brasil / Conselho Indigenista Mission√°rio-CIMI / F√≥rum de Mudan√ßas Clim√°ticas e Justi√ßa Social / Assembleia Popular Nacional / Movimento dos Atingidos por Barragens–MAB / Grito dos/as Exclu√≠dos/as Nacional / Servi√ßo Pastoral dos Migrantes–SPM / Instituto de Forma√ß√£o Humana e Educa√ß√£o Popular–IFHEP / C√°ritas Brasileira–Regional de MG / Rede de Educa√ß√£o Cidad√£ Nacional–RECID / Pastoral da Mulher Marginalizada–PMM / Pastoral Oper√°ria Nacional–PO / Pastoral da Sobriedade / Conselho Pastoral dos Pescadores-CPP / Pastoral da Sa√ļde Nacional / Pastorais Sociais do Regional Noroeste / Pastoral do Povo da Rua / Comiss√£o Pastoral da Terra–CPT / Pastorais Sociais/CNBB / Juventude Franciscana–JUFRA / Confer√™ncia Nacional dos Religiosos Nacional–CRB / Pastoral da Pessoa Idoso Nacional / Centro Burnier de F√© e Pol√≠tico do Mato Grosso / C√°ritas Brasileira Regional Nordeste de BA e SE / Instituto de Pol√≠tica Alternativa para o Cone Sul–PACS / Instituto Brasileiro de Desenvolvimento – IBRADES

Coment√°rios

DESTAQUES

BLOGS


INSTAGRAM @JUFRADOBRASIL