Mensagem do Papa para o Dia Mundial da Juventude 2006

Publicamos a mensagem que Bento XVI escreveu aos jovens do mundo com motivo do XXI Dia Mundial da Juventude, que se celebrar√° em 9 de abril de 2006, Domingo de Ramos, nas dioceses.
“Tua palavra √© l√Ęmpada para os meus p√©s, E luz para o meu caminho” (Sl 119,105) Queridos jovens! Ao dirigir-me com alegria a voc√™s que est√£o se preparando para a XXI Jornada Mundial da Juventude, revivo em minha alma a lembran√ßa das experi√™ncias que tive na Alemanha no m√™s de agosto passado. A Jornada deste ano celebrar-se-√° nas diferentes Igrejas locais e ser√° uma ocasi√£o oportuna para reacender a chama do entusiasmo despertada em Col√īnia e que muitos de voc√™s levaram √†s fam√≠lias, par√≥quias, associa√ß√Ķes e movimentos. Ser√°, ao mesmo tempo, um tempo privilegiado para fazer participar, a tantos amigos de voc√™s, na peregrina√ß√£o espiritual das novas gera√ß√Ķes para Cristo. O tema que proponho para a considera√ß√£o de voc√™s √© um vers√≠culo do Salmo 119 (118): “Tua palavra √© l√Ęmpada p√°s os meus p√©s, e luz para o meu caminho” (v. 105). O amado Jo√£o Paulo II comentou estas palavras do Salmo dizendo que “o orante se derrama em louvor √† Lei de Deus, lei que toma como l√Ęmpada para seus p√©s no caminho muitas vezes obscuro da vida”. (Audi√™ncia geral de 14 de novembro de 2001). Deus se revela na hist√≥ria, fala aos homens e sua palavra √© criadora. Com efeito, o conceito hebreu “dabar”, habitualmente traduzido com o termo “palavra”, quer significar tanto “palavra” como “ato”. Deus diz o que faz e faz o que diz. No Antigo Testamento anuncia aos filhos de Israel a vinda do Messias e a instaura√ß√£o de uma “nova alian√ßa; no Verbo feito carne Ele cumpre suas promessas. Isto √© posto em evid√™ncia, tamb√©m, no Catecismo da Igreja Cat√≥lica: “Cristo, o Filho de Deus feito homem, √© a Palavra √ļnica, perfeita e insuper√°vel do Pai. Nele Ele diz tudo, n√£o haver√° outra palavra mais que esta” (n¬ļ. 65). O Esp√≠rito Santo que guiou o povo eleito, inspirando os autores das Sagradas Escrituras, abre o cora√ß√£o dos crentes √† intelig√™ncia daquilo que estas cont√©m. O mesmo Esp√≠rito est√° ativamente presente na Celebra√ß√£o Eucar√≠stica quando o sacerdote, pronunciando “na pessoa de Cristo” as palavras da consagra√ß√£o, converte o p√£o e o vinho no Corpo e no Sangue de Cristo, para que seja alimento espiritual dos fi√©is. Para avan√ßar na peregrina√ß√£o terrestre rumo √† P√°tria celeste, todos precisamos alimentar-nos da palavra e do p√£o da Vida eterna, insepar√°veis entre si. Os ap√≥stolos acolheram a palavra de salva√ß√£o e a transmitiram a seus sucessores como uma j√≥ia preciosa guardada no cofre seguro da Igreja; sem a Igreja esta p√©rola correria o risco de perder-se ou fazer-se em peda√ßos. Queridos jovens, amem a palavra de Deus e amem a Igreja que lhes permite ter acesso a um tesouro de um valor t√£o grande, introduzindo-os a apreciar sua riqueza. Amem e sigam a Igreja que recebeu de seu Fundador a miss√£o de mostrar aos homens o caminho da verdadeira felicidade. N√£o √© f√°cil reconhecer e encontrar a aut√™ntica felicidade no mundo em que vivemos, no qual o homem √©, n√£o poucas vezes, ref√©m de correntes ideol√≥gicas que o induzem, apesar de crer-se “livre”, a perder-se nos erros e ilus√Ķes de ideologias aberrantes. Urge “libertar a liberdade” (cfr. Enc√≠clica Veritatis splendor, 86), iluminar a escurid√£o na qual a humanidade vai, √†s cegas. Jesus mostrou como isso pode acontecer: “Se vos mantiverdes em minha Palavra, sereis verdadeiramente meus disc√≠pulos e conhecereis a verdade e a verdade vos far√° livres” (Jo 8,31-32). O Verbo encarnado, Palavra de Verdade, nos faz livres e dirige nossa liberdade para o bem. Queridos jovens, meditem a palavra de Deus, e deixem que o Esp√≠rito Santo seja o mestre de voc√™s. Voc√™s descobrir√£o, assim, que o pensamento de Deus n√£o √© o pensamento dos homens: voc√™s ser√£o levados a contemplar ao Deus verdadeiro e a ler os acontecimentos da Hist√≥ria com os olhos dEle; voc√™s saborear√£o em plenitude a alegria que nasce da verdade. No caminho da vida, que n√£o √© f√°cil nem isento de ins√≠dias, voc√™s poder√£o encontrar dificuldades e sofrimentos e, √†s vezes, a tenta√ß√£o de exclamar com o Salmista: “Estou por demais humilhado” (Sal 119, v. 107). N√£o se esque√ßam de acrescentar, junto ao Senhor: Senhor, “faze-me viver conforme a vossa palavra... Minha vida sempre est√° em perigo, por√©m n√£o me esque√ßo de vossa vontade” (ibid., vv 107.109). A presen√ßa amorosa de Deus, atrav√©s de sua palavra, √© tocha que dissipa as trevas do medo e ilumina o caminho, tamb√©m nos momentos mais dif√≠ceis. Escreve o autor da Carta aos Hebreus: “A palavra de Deus √© viva, eficaz e mais penetrante do que qualquer espada de dois gumes; ela penetra at√© o ponto onde a alma e o esp√≠rito se encontram, e at√© onde as juntas e medulas se tocam; ela sonda os sentimentos e pensamentos mais √≠ntimos” (4,12). √Č necess√°rio tomar a s√©rio a exorta√ß√£o de considerar a Palavra de Deus como “arma” indispens√°vel na luta espiritual; ela age eficazmente e d√° fruto se aprendemos a escut√°-la para obedecer-lhe depois. Explica o Catecismo da Igreja Cat√≥lica: “Obedecer (ob-audire) na f√©, √© submeter-se livremente √† Palavra escutada, porque sua est√° assegurada por Deus, a pr√≥pria Verdade” (n¬ļ. 144). Se Abra√£o √© o modelo desta escuta que √© obedi√™ncia, Salom√£o se revela, por outro lado, como um buscador apaixonado da sabedoria contida na Palavra. Quando Deus lhe prop√Ķe: “Pede-me. O que lhe posso dar?” o s√°bio rei responde: “Concede, pois, a teu servo um cora√ß√£o que entenda” (1 Reis 3,5.9). O segredo para ter um “cora√ß√£o que entenda” √© construir um cora√ß√£o capaz de escutar. Isto se consegue meditando sem cessar a palavra de Deus e permanecendo enraizados nela, mediante o esfor√ßo de conhec√™-la sempre melhor. Queridos jovens, exorto-os a adquirirem intimidade com a B√≠blia, a t√™-la em m√£os, para que seja para voc√™s como uma lanterna que mostra o caminho a seguir. Lendo-a, voc√™s aprender√£o a conhecer a Cristo. S√£o Jer√īnimo observa, a respeito disso: “O desconhecimento das Escrituras √© o desconhecimento de Cristo” (PL 24,17; cfr. Dei Verbum, 25). Um modo muito reconhecido para aprofundar e saborear a palavra de Deus √© a lectio divina, que constitui um verdadeiro e apropriado itiner√°rio espiritual em etapas. Da lectio, que consiste em ler e tornar a ler uma paisagem da Sagrada Escritura, tomando os elementos principais, passa-se √† meditatio, que √© como uma parada interior, na qual a alma se dirige a Deus tentando compreender o que sua palavra diz hoje, para a vida concreta. Em seguida, segue a oratio, que faz que nos entretemos com Deus em col√≥quio direto, e finalmente se chega √† contemplatio, que nos ajuda a manter o cora√ß√£o atento √† presen√ßa de Cristo, cuja palavra √© “l√Ęmpada que br ilha em lugar escuro, at√© que desponte o dia e se levante em vossos cora√ß√Ķes” (2 Pe 1,19). A leitura, o estudo e a medita√ß√£o da Palavra tem que desembocar, depois, numa vida de coerente ades√£o a Cristo e √† sua doutrina. Adverte o ap√≥stolo Tiago: “Quem ouve a Palavra de Deus e n√£o a pratica, √© como algu√©m que observa no espelho o rosto que tem desde o nascimento; observa a si mesmo e depois vai embora, esquecendo a pr√≥pria apar√™ncia. Mas quem se concentra numa lei perfeita, a lei da liberdade, e nela continua firme, n√£o como ouvinte distra√≠do, mas praticando o que ela manda, esse encontrar√° a felicidade no que faz” (Tg 1,22-25). Quem escuta a palavra de Deus e sempre remete a ela p√Ķe sua exist√™ncia sobre um fundamento s√≥lido. “Todo aquele que escuta estas minhas palavras e as p√Ķe em pr√°tica – disse Jesus – ser√° como o homem prudente que edificou sua casa sobre a rocha” (Mt 7,24): n√£o ceder√° √†s inclem√™ncias do tempo. Construir a vida sobre Cristo, acolhendo com alegria a palavra e pondo em pr√°tica a doutrina: eis a√≠, jovens do terceiro mil√™nio, qual deve ser o programa de voc√™s! √Č urgente que surja uma nova gera√ß√£o de ap√≥stolos enraizados na palavra de Cristo, capazes de responder aos desafios de nosso tempo e dispostos a difundir o Evangelho por todas as partes. Isto √© o que lhes pede o Senhor, a isso os convida Igreja, √© isso que o mundo – mesmo sem sab√™-lo – espera de voc√™s. E se Jesus chama a voc√™s, n√£o tenham medo de responder-lhe com generosidade, especialmente quando lhes prop√Ķe de segui-Lo na vida consagrada ou na vida sacerdotal. N√£o tenham medo; confiem nEle e n√£o se sentir√£o decepcionados. Queridos amigos, com a XXI Jornada Mundial da Juventude, que celebraremos no pr√≥ximo 09 de abril, Domingo de Ramos, empreenderemos uma peregrina√ß√£o ideal at√© o encontro mundial dos jovens, que acontecer√° em Sydnei, no m√™s de julho de 2008. Preparar-nos-emos para esta grande entrevista refletindo juntos sobre o tema O Esp√≠rito Santo e a miss√£o, atrav√©s de etapas sucessivas. Neste ano concentraremos a aten√ß√£o no Esp√≠rito Santo, Esp√≠rito da Verdade que nos revela Cristo, o Verbo feito carne, abrindo o cora√ß√£o de cada um √† Palavra de salva√ß√£o, que conduz √† Verdade integral. No ano seguinte, 2007, meditaremos sobre um vers√≠culo do Evangelho de S√£o Jo√£o: “Como eu vos amei, assim amai-vos tamb√©m uns aos outros” (13,34) e descobriremos ainda mais profundamente como o Esp√≠rito Santo √© Esp√≠rito de Amor, que infunde em n√≥s a caridade divina e nos faz sens√≠veis √†s necessidades materiais e espirituais dos irm√£os. Por fim chegaremos ao encontro mundial de 2008, que ter√° como tema “Recebere is a for√ßa do Esp√≠rito Santo, que vir√° sobre v√≥s e sereis minhas testemunhas” (At 1,8). Desde agora, num clima de incessante escuta da palavra de Deus, invoquem, queridos jovens, o Esp√≠rito Santo, Esp√≠rito de fortaleza e de testemunho, para que os fa√ßa capazes de proclamar sem temor o Evangelho at√© os confins da terra. Maria, presente no Cen√°culo com os Ap√≥stolos √† espera do Pentecostes, lhes seja m√£e e guia. Que Ela lhes ensine a acolher a palavra de Deus, a conserv√°-la e a medit√°-la nos cora√ß√Ķes de voc√™s (cfr Lc 2,19) como o fez durante toda a sua vida. Que Ela alente a voc√™s a dizerem “sim” ao Senhor, vivendo a “obedi√™ncia da f√©”. Que Ela os ajude a serem firmes na f√©, constantes na esperan√ßa, perseverantes na caridade, sempre d√≥ceis √† palavra de Deus. Acompanho-os com minha ora√ß√£o, enquanto aben√ß√īo a todos, de cora√ß√£o. Vaticano, 22 de fevereiro de 2006, Festa da C√°tedra de S√£o Pedro Ap√≥stolo.
Papa Bento XVI

Coment√°rios

DESTAQUES

BLOGS


INSTAGRAM @JUFRADOBRASIL