segunda-feira, 27 de abril de 2015

O ‘DIREITO DE SONHAR’ DA JUVENTUDE FRANCISCANA NO PARI

“Que tal delirarmos por um momentinho?”. Esse foi o convite que o Secretariado Nacional da JUFRA do Brasil, inspirado em Eduardo Galeano, fez aos jovens franciscanos que saíram de suas fraternidades em direção ao bairro do Pari, em São Paulo.

Entre os dias 17 e 19 de abril, realizou-se a primeira Edição das “Escolas de Formação em Ação Evangelizadora e Direitos Humanos, Justiça, Paz e Integridade da Criação” para os Regionais do Sudeste e Centro-Oeste. Reuniram-se no Convento Santo Antônio do Pari, em São Paulo, representantes das fraternidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Goiás. O encontro teve como iluminação bíblica “Dai-lhes vós mesmos de comer” (Mc 6,37) e contou com a colaboração do Serviço Franciscano de Solidariedade (SEFRAS). Esta parceria propiciou a reflexão sobre as áreas-tema das Escolas de Formação: AÇÃO EVANGELIZADORA (AE) e Direitos Humanos, Justiça, Paz e Integridade da Criação (DHJUPIC), através da experiência do serviço que é mantido pelos frades franciscanos da Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil.
A Jufra das Chagas, fraternidade anfitriã do encontro, se desdobrou dedicando tempo, talento e suor na acolhida e na logística das atividades do encontro. O nome da fraternidade vem de encontro com o símbolo do SEFRAS: as chagas de Jesus e de São Francisco que se encontram com as chagas dos empobrecidos de nosso tempo são uma experiência pascal. O encontro com o leproso atualiza-se sempre, na medida em que nos colocamos como menores, construindo o Reino com o trabalho de nossas mãos.

Construção do ideal franciscano
O desejo de realizar uma Escola de Formação nestas áreas, segundo Igor Bastos, Secretário Nacional de DHJUPIC, é essencial, pois, com simplicidade pode-se trabalhar na base os meios práticos para a construção do carisma que a Juventude Franciscana busca viver em sua realidade local, regional e nacional.

“Estas Secretarias são duas dimensões do carisma franciscano essenciais na vida do jufrista e daquele que busca viver a vida ao espelho de Francisco de Assis”, destacou o Secretário. Ele lamentou ainda a impossibilidade de realizar um encontro com a presença de todos os jufristas e destacou a importância da multiplicação do conhecimento adquirido, fazendo referência à passagem bíblica que inspira o encontro. Quem participa do encontro é convidado a realizar esta multiplicação na sua fraternidade.

“Ser parte dentro do mundo em que vive”
Diversos jufristas que protagonizam a ação social em suas fraternidades fizeram-se presentes no encontro, entre eles, Noelli Lopes, da Fraternidade Rosa de Viterbo de Betim/MG, que além de jufrista é Assistente Social do Centro Franciscano de Defesa de Direitos, dos frades menores da Província Santa Cruz. Para ela, não basta ser franciscano, é preciso atuar como franciscano e ajudar o menor, aproximando-se dele, indo ao encontro, fazendo-se menor.

Noelli deixou uma mensagem para os jufristas que ficaram em sua cidade: “A cada dia que passa devemos seguir um pouco o sonho dele (São Francisco de Assis), não perder o ponto de partida, onde traçamos uma meta maior para ir em busca de nossos sonhos, de nossa marca” destacou.

Páscoa, nova certeza de pão em todas as mesas
Na noite de sexta, o encontro foi aberto com uma mística em parceria com o SEFRAS, que recordou os desserviços que ocorrem frequentemente em nossa sociedade, especialmente na realidade em que o SEFRAS está presente. No sábado, houve a assessoria do Coordenador de formação do SEFRAS e Coordenador da PJ, Eduardo Brasileiro, que fez uma análise de conjuntura da realidade social e eclesial. Rodas de conversa, orações, formações específicas dos serviços de AE e DHJUPIC fizeram parte da programação. Após este momento os irmãos Igor Bastos e Ana Carolina Miranda falaram brevemente sobre a história de cada serviço, respectivamente, DHJUPIC e AE.

Após o almoço todos juntos dançaram e cantaram a Ciranda “Momento Novo”, momento para animar e preparar os jovens para os Blocos de Discussões, no qual os participantes se dividiram em dois grandes grupos que iriam trabalhar as dimensões de cada serviço.

Um grande convívio fraterno foi realizado para finalizar o dia com direito a churrasco, muita música e oportunidade de cada irmão e irmã conversar e se conhecer melhor.

Na manhã do domingo os jovens e toda a comunidade se reuniram para a Celebração Eucarística presidida por Frei José Francisco Santos, dando sequência ao último dia de encontro. Na volta do café da manhã os jovens foram divididos em quatro grupos para o Momento 'Agir'. Partindo de tudo que foi discutido os jovens foram convidados a traçar planos para serem trabalhados dentro de suas realidades, no momento da plenária foram apresentadas as metas e como orientação repassada cada Regional ali presente assumiu levar para o Seminário Nacional em AE e DHJUPIC, a realizar-se em Petrópolis, no próximo mês de setembro, as atividades que serão trabalhadas.

Essa foi só a primeira de cinco escolas que estarão acontecendo em todo o Brasil. E que esse sonho de estar a serviço do menor seja levado a todos.


Paz e Bem.
O que achou?

0 comentários: