sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

RELÍQUIAS DA JUFRA


Aconteceu na noite de 19 de fevereiro, no XII CORJUFRA Eletivo do regional Sul 1 da JUFRA, na cidade de Ponta Grossa – PR, o “Decanato” com a presença da fraternidade Frei Eurico de Melo. Foi uma experiência incrível que todo jufrista deveria poder presenciar. Todos sentados ao redor do Santíssimo Sacramento, os jufristas de hoje, presentes no Congresso e os jufristas de ontem, os quais se colocaram a serviço nos primeiros anos da JUFRA no Brasil e conviveram com Frei Eurico de Melo, participantes hoje da fraternidade batizada com o nome de Frei Eurico.




Assim funcionava o “Decanato”, os primeiros jufristas, os “mais antigos” davam seus depoimentos, contando suas experiências vividas, principalmente sobre a convivência com a figura tão importante para nós da JUFRA, a de Frei Eurico de Melo. Ouvimos muitas histórias emocionantes, outras que nos levavam ao riso. Alguns minutos eram reservados para esses depoimentos, que sempre se prolongavam, afinal, como resumir em poucos minutos tantas experiências que vivenciaram na JUFRA? Após os depoimentos e perguntas dos novos jufristas, alegres cantávamos músicas animadas pela Fraternidade Frei Eurico. Deram seus depoimentos Marcela Siqueira, Moacir Aparecido dos Santos, Neuzete Lino, Rogerio Marenda, Edson Armando Silva, Inácio de Loyola Maier e Clair Eidt.

(Alex Bastos, Edson Armando Silva, Clair Eidt, Moacir Aparecido Dos Santos, Neuzete Lino, Rogerio Marenda, Marcela Siqueira, Marines Camillo e Inácio de Loyola Maier)


Uma das muitas histórias contadas por esses irmãos é a de que Frei Eurico, para realizar suas viagens de Treinamentos e Formações para a expansão da JUFRA, muitas vezes não tinha recursos financeiros nem mesmo para colocar gasolina em seu “Kimba”, mas sempre confiava na providência divina e sempre de alguma forma ou outra “dava seu jeito” e as viagens saíam. Após essa história, no dia seguinte um lindo cachorrinho seguia os jovens jufristas em seu passeio turístico na cidade de Ponta grossa. Essa cachorrinho foi recolhido e levado junto ao passeio, ainda foi batizado com o nome de “Kimba” e adotado por um jufrista da fraternidade local.
Impossível não compartilhar uma das respostas dadas à pergunta da jufrista: O que era priorizado, como conseguiram dar esse início tão importante à JUFRA levando a tantos jovens esse ideal? Os convidados relataram a importância que tinha para Frei Eurico a Formação e a Organização da JUFRA. Segundo eles, Frei Eurico não dava “café com leite”, mas “carne da melhor qualidade”. Ainda, outra convidada lembrou a importância de alguns ensinamentos tão conhecidos por nós atualmente: Fazer poucas coisas e fazer bem feito; Constrói devagar o teu segredo; Amar primeiro; e Amar até o fim. Foi um lindo momento de partilha que renovou o ideal de cada jovem e convidado ali presente, nos mostrando que, mesmo após 40 anos, esse ideal é tão forte e cabe a nós darmos continuidade a essa história.



Jamille Mateus Wiles

Subsecretária Nacional para a Área Sul

O que achou?

0 comentários: