sábado, 4 de abril de 2015

Papa Francisco presidiu Via Sacra no Coliseu em Roma

Na noite desta Sexta-Feira Santa o Papa Francisco presidiu à Via Sacra no Coliseu de Roma. As meditações preparadas pelo Bispo Emérito de Novara em Itália D. Renato Corti expressaram a Cruz como “ápice luminoso do amor de Deus”. Um Deus que nos chama a sermos “também nós guardiões por amor”.
São muitos milhares aqueles que em cada dia sobem ao Calvário e que foram invocados nos textos da Via Sacra: os que vivem refugiados das perseguições, os imigrantes que morrem na sua procura de uma vida melhor, os que não têm trabalho e vivem na crise económica e na precariedade, as famílias do mundo de hoje, as vítimas do tráfico humano, os jovens feridos na sua intimidade e barbaramente profanados com abusos sexuais, os que sofrem a tortura e a pena de morte.
A Cruz da Via Sacra no Coliseu de Roma foi transportada por pessoas representativas de tantas destas realidades e sofrimentos com especial relevo para os cristãos de África e do Medio Oriente.
No final da 14ª estação o Santo Padre fez a seguinte oração:
“A tua via-sacra é a síntese da tua vida, ícone da tua obediência à vontade do Pai. É a prova da tua missão. O peso da tua cruz liberta-nos de todos os nossos fardos. Na tua obediência à vontade do Pai, nós nos damos conta da nossa rebelião e desobediência. Em ti, vendido, traído e crucificado pela tua gente, nós vemos as nossas quotidianas traições e infidelidades.”
“Na tua inocência, vemos a nossa culpa; no teu rosto desfigurado, vemos a brutalidade dos nossos pecados. Na crueldade da tua paixão, vemos a crueldade do nosso coração e das nossas ações. Ao sentir-te abandonado, vemos todos os abandonados pelos familiares, pela sociedade. No teu corpo sacrificado, vemos os corpos dos nossos irmãos abandonados nas ruas, desfigurados pela nossa negligência e indiferença.”
“Em ti, divino Amor, vemos ainda hoje os nossos irmãos perseguidos, decapitados e crucificados pela sua fé em ti, sob nossos olhos ou com frequência com o nosso silêncio cúmplice. Imprime no nosso coração sentimentos de fé, esperança, caridade, de dor pelos nossos pecados e leva-nos a arrepender pelos nossos pecados que te crucificaram. Leva-nos a transformar a nossa conversão feita de palavras em conversão de vida e de obras. Jesus Crucificado, reaviva em nós a esperança, para que não se perca seguindo as seduções do mundo; guarda em nós a caridade, que não se deixe enganar pela corrupção e a mundanidade.”
“Ensina-nos que a Sexta-Feira Santa é o caminho para a Páscoa da ressurreição. Ensina-nos que Deus jamais esquece cada um dos seus filhos e jamais se cansa de nos perdoar e de abraçar. E ensina-nos a não nos cansarmos de pedir perdão e a acreditar na misericórdia sem limites do Pai.” (RS)
O que achou?

0 comentários: