quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

JUFRA VALONGO (SP) REALIZA 8ª EDIÇÃO DA CEIA FRANCISCANA


Durante a Ceia, nossos irmãos que estão em situação de rua puderam tomar banho, realizar sua higiene pessoal, receber roupas novas e, por fim, como uma família, se deliciaram com as comidas típicas do natal trazidas pelos irmãos da comunidade. Juventude Franciscana com a ajuda de toda a comunidade do Valongo, em Santos.

Num tempo em que pessoas dizem que o Natal virou uma festa comercial e que o verdadeiro sentido desta data foi esquecido, para nós, franciscanos, um gesto concreto como este reafirma o que é Natal, um amor tão grande de Deus que se fez nosso irmão para nos salvar, e que nos ensinou também a amar uns aos outros.

Não sabemos o que levou esses irmãos às ruas, quais as batalhas que eles enfrentam, nem mesmo as dores que sentem, sejam elas físicas ou emocionais. Mas não podemos tratá-los como seres invisíveis, simplesmente nos esquecendo de sua existência, e, mesmo sabendo que nosso gesto é pouco, pois eles não sentem fome só no natal, mais do que a comida, nossa expectativa é que renasça nessas pessoas a esperança, a autoestima, a força pra sair de uma situação difícil e a fé naquele que nasceu, viveu e morreu por nós. Se conseguirmos tocar o coração de pelos menos uma pessoa, todo nosso trabalho valeu a pena.

A verdade é que, como disse nossa irmã Juliana, “nós gostaríamos de não precisar fazer a Ceia, gostaríamos de um mundo mais justo, em que as pessoas pudessem celebrar o natal em suas casas.” Enquanto isto não é possível, celebramos o nascimento de Cristo com esses irmãos, na esperança de uma vida melhor para todos aqueles que parecem invisíveis aos olhos do mundo. 

O saldo final da ceia não é sensação de dever cumprido, é de que podemos e devemos fazer muito mais, pois podemos não ter mudado a vida dos moradores de rua de Santos, mas mudamos nosso sentimento em relação a eles.

Veja a matéria feita pela TV Tribuna. Clique Aqui

Mais Fotos:




Paz e Bem!
Por Ana Carla Almeida, Jufra Valongo
O que achou?

0 comentários: