sexta-feira, 2 de agosto de 2013

Solenidade do "Perdão de Assis"


Nesta quinta e sexta-feira, celebra-se, na Basílica de Santa Maria dos Anjos, em Assis, a cidade de São Francisco, a Abertura da Solenidade do “Perdão de Assis”, com uma Santa Missa presidida, de manhã, pelo Ministro Geral da Ordem dos Franciscanos Menores, Padre Michael Perry. À noite, o bispo de Assis, Dom Domenico Sorrentino, preside à Peregrinação da Diocese de Assis e às Primeiras Vésperas da Solenidade do “Perdão de Assis”. Assim, neste mês de agosto, a família Franciscana celebra, portanto, duas importantes festas: o Perdão de Assis, 02 de agosto, e o dia de Santa Clara de Assis, no dia 11. Mas, qual é o verdadeiro significado desta festa franciscana, conhecida no mundo inteiro?

O Perdão de Assis é a máxima expressão da Misericórdia de Deus. Segundo relatos de fontes franciscanas, em certa noite do ano de 1216, Francisco encontrava-se em profunda oração na igrejinha da Porciúncula, que ficava nos arredores de Assis, quando, de repente, todo o local ficou iluminado e Francisco viu sobre o altar o Cristo e a sua direita sua Santíssima Mãe e ao redor deles uma multidão de anjos. Perguntaram-lhe o que desejava para a salvação das almas ao que de imediato respondeu: “Santíssimo Pai, mesmo que eu seja um mísero pecador, te peço que, a todos quantos arrependidos e confessados, vierem a visitar esta igreja, lhes conceda amplo e generoso perdão, com uma completa remissão de todas as culpas”. O Senhor lhe disse: “Ó irmão Francisco, aquilo que pedes é grande, de coisas maiores és digno e coisas maiores tereis: acolho portanto o teu pedido, mas com a condição de que tu peças esta indulgência, da parte minha, ao meu Vigário na terra (Papa)”. No dia seguinte Francisco apresenta-se diante do Papa Honório III e partilha a visão que teve, e o Papa lhe concede a aprovação da indulgência plenária. Logo após, o Santo Padre pergunta se não quer nenhum documento que comprove a autorização, no que Francisco responde: “Santo Pai, se é de Deus, Ele cuidará de manifestar a obra sua; eu não tenho necessidade de algum documento. Esta carta deve ser a Santíssima Virgem Maria, Cristo o Escrivão e os Anjos as testemunhas”. Com o passar dos séculos a indulgência concedida às pessoas que visitassem a igrejinha de Santa Maria dos Anjos (Porciúncula) se estendeu também a todos que, no dia 02 de agosto, visitarem uma igreja paroquial. Essas pessoas devem se confessar, rezar o credo, um Pai Nosso, participar da Eucaristia e comungar e rezar uma oração na intenção do Santo Padre. (RV)

O que achou?

0 comentários: