sábado, 24 de novembro de 2012

JUFRA do Brasil em solidariedade aos trabalhadores e trabalhadoras rurais sem terra ameaçados de despejo em Uberlândia-MG

Caros irmãos/ãs da JUFRA,

Seguem em abaixo e em anexo, uma mensagem que recebemos do companheiro Django. Os sem terra acampados na Fazenda Estivina estão prestes a serem despejados. Mais um capítulo triste da história de luta do povo pela terra. Na segunda feira passada a PM-MG foi para fazer o despejo, mas a determinação das famílias acampadas em não sair, prevaleceu. Contudo, na terça feira que vêm haverá uma reunião com o comando da PMMG da região, para discutir o despejo.

Para além do fato, de que as famílias acampadas na Fazenda Estivinha, organizadas pelo MLT, estejam numa luta justa, esse acampamento tem um valor simbólico muito grande para a JUFRA de Uberlândia. Pois foi lá, que no nascimento de nossa fraternidade, os irmãos e irmãs da JUFRA conheceram, pela primeira vez uma luta social. Fomos acolhidos como família e tivemos o gostinho do amor que os pobres dedicam a todos, e de como o mundo poderá ser mais humano, quando a lógica do capital e da mercatilização da terra e da vida forem vencidas.

Leiam o que está abaixo e o anexo. Vamos nos solidarizar.
Paz e Todo Bem!

Frei Rodrigo Péret, OFM
_________________________________________________________________________________
BOA TARDE AMIGOS E AMIGAS DE INSTITUIÇÃO GOVERNAMENTAL E NÃO GOVERNAMENTAL,

VENHO PEDIR A PRESENÇA DE TODOS(AS) A REUNIÃO QUE ACONTECERÁ NO DIA 27/11/12 TERÇA-FEIRA AS 14:00H NO 17° BATALHÃO DA PM NA AV. UBIRATAN HONÓRIO DE CASTRO, Nº 291, BAIRRO SANTA MONICA - UBERLÂNDIA-MG.

QUE TRATARÁ DA AÇÃO DE REINTEGRAÇÃO DE POSSE DA FAZENDA ESTIVINHA, VEIO D'AGUA MUNÍCIPIO DE UBERLÂNDIA-MG, ÁREA OCUPADA À 10 ANOS POR FAMÍLIAS DO MLT-MG, ONDE A MESMA FOI DECRETADA PARA REFORMA AGRÁRIA EM 06 DE DEZEMBRO DE 2001.

NÓS PRECISAMOS DO APOIO DE TODOS PARA QUE ESTA LIMINAR DE REINTEGRAÇÃO NÃO SEJA CUMPRIDA PELA PM, HAJA VISTO QUE EXISTEM VÁRIOS CRIMES PRATICADOS PELOS DITOS PROPRIETÁRIOS, QUE VAI DESDE AMEAÇA DE MORTE A DESCUMPRIMENTO DAS LEIS TRABALHISTAS E AMBIENTAIS.

SEGUE EM ANEXO O OFICIO ENVIADO AO ATUAL SUPERINTENDENTE DO INCRA-MG, ONDE AGUARDAMOS SUA PRESENÇA NESTA, EXPLICANDO NOSSA POSIÇÃO DE NÃO RECONHECER A DECISÃO DO JUIZ AGRÁRIO DO TJ-MG.

CONTO COM A PRESENÇA E A MOBILIZAÇÃO DAS ENTIDADES DE DEFESA SOCIAL, POR EXISTIR NO LOCAL MULHERES, HOMENS, JOVENS, CRIANÇAS E IDOSOS EM SITUAÇÃO DE RISCO. E NA MAIORIA DAS VEZES AS ENTIDADES NÃO SÃO COMUNICADAS A TEMPO PELA PM.

CONTO COM TODOS(AS),

Django Alves - COORD. NACIONAL DO MLT-MG.
O que achou?

0 comentários: