domingo, 8 de abril de 2012

Reflexão - Domingo de Páscoa


DOMINGO DA RESSURREIÇÃO DO SENHOR

"Ele não está aqui, Jesus está vivo”.

O Evangelho de Mateus relata que, "após o sábado, ao raiar do primeiro dia da semana, Maria Madalena e a outra Maria vieram ver o sepulcro... o Anjo do Senhor estava sentado sobre a pedra... e, dirigindo-se às mulheres, disse-lhes: Não temais! Sei que estais procurando Jesus de Nazaré, o Crucificado. Ele não está aqui, pois ressurgiu, conforme havia dito" (cf. Mt 16,1-7). O anjo, no entanto, explica-lhes que erraram o endereço: Ele não está aqui! O sepulcro pouco importa, o que importa é o Jesus vivente. Ele ressuscitou e vive no meio de nós. Portanto, não devemos procurar quem está vivo entre os mortos (Lc 24,5). Jesus está vivo, alegremo-nos, pois nós também ressuscitaremos. Para que isso se torne uma realidade devemos "procurar as coisas do alto" (Cl 3,1), isto é, a vida nova revelada em Jesus Cristo e, ao mesmo tempo, colocá-la em prática em nossa vida.
“Quem tenta viver como ele viveu, já começa a sentir em si as forças de ressurreição. Dentro de sua mortalidade vai se formando a imortalidade. A morte apenas deixará cair o invólucro que escondia o tesouro precioso: a vida, agora plena porque realizada na total comunhão e amor com todas as criaturas de Deus”.
Na Última Ceia, Jesus mostrou-nos pelo gesto do lava-pés, que o melhor meio de anunciar a Ressureição, de testemunhar nossa fé na Vida Plena, de modo vivo e convincente, é através do serviço, através de um relacionamento acolhedor com o outro, colocando-se a serviço do outro.
O Mistério de Jesus iniciado na última Ceia, marcada pelo serviço, pela agonia do Getsemani, quando o silêncio de Deus o angustiou, tornando-se pesadíssimo no momento da Cruz, reflete a vida da humanidade e nossa vida pessoal. Também nós, nos vemos angustiados e crucificados sem uma resposta de Deus. O Mistério Pascal de Jesus tem uma mensagem clara e urgente ao mundo e a cada um de nós: “tenha fé, confie em Deus e o Senhor te libertará da morte”. Te libertará da morte que mata aos poucos, com pedras que impedem a passagem para a vida e para o viver, sepultando esperanças, alegrias, sonhos, projetos, relacionamentos...
Muitos homens e mulheres no decorrer da história entenderam perfeitamente o mandamento “novo” de Jesus e, imediatamente traduziram em suas vidas em palavras e obras. Temos o exemplo de Francisco de Assis que procurou durante toda a sua vida, radicalmente, anunciar e testemunhar com a vida, o modelo de Vida Plena deixado pelo Mestre. Charles de Fouculd, que se propôs evangelizar testemunhando o Evangelho sem dizer uma palavra, mas se colocando a serviço dos pobres do deserto da Argélia. Madre Tereza de Calcutá, um exemplo de como deixar, na história da humanidade, marcas profundas do Amor de Deus, quando ela passava o tempo todo de sua vida cuidando dos “empobrecidos” da Índia. E poderia recordar de tantas outras pessoas que seguiram com largueza as pegadas do Nazareno. E nós, o que faremos diante do exemplo do nosso Mestre e Senhor? Queremos de fato ressuscitar com Ele?

Fraternalmente;

Frei Miguel da Cruz, OFM.
Assistente Espiritual Nacional para JUFRA

O que achou?

3 comentários:

vitorbrasilia disse...

Obrigado pela maravilhosa reflexão.Fiquem com Deus.Tudo por Jesus Nada sem Maria.São Francisco de Assis rogai por nós.

vitorbrasilia disse...

Obg pela maravilhosa reflexão.Tudo por Jesus nada sem Maria.São Francisco de Assis Rogai por nós.

vitorbrasilia disse...

Obrigado pela maravilhosa reflexão.Fiquem com Deus.Tudo por Jesus Nada sem Maria.São Francisco de Assis rogai por nós.