quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

FESTA NA JUFRA DO BRASIL - É DIA DE ADRIELLY ALVES!


Nesse dia de reencontro com Deus queremos render-lhe graças pelo dom da vida concedido a nossa irmã “MARAVILINDA” Adrielly Alves, Secretária Nacional para a Área Norte. Somos muito felizes por tê-la ao nosso lado, com seu exemplo de fortaleza e dedicação à Fraternidade. Parabéns irmã e obrigada pelo carinho e amor dedicado à JUFRA do Brasil.
Deus te abençoe e guarde.

sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018

CARTA DA SECRETARIA DE FINANÇAS DESTINADA A TODOS OS JUFRISTAS DO BRASIL


SECRETARIADO FRATERNO NACIONAL DA JUFRA DO BRASIL
SECRETARIA NACIONAL DE FINANÇAS
TRIÊNIO 2016-2019
      Rua Josino José de Almeida, 0375, Apt.14 Farolâdia - SE
            CEP: 49000000


Franca/SP, 09 de fevereiro de 2018

"Deixai vir a mim as crianças, pois é delas o Reino dos céus”
Mt, 19,14

Amados Irmãos e Irmãs,
Paz e bem.

Muitas realizações marcaram o ano de 2017: Congressos Regionais com suas lideranças renovadas; duas reuniões do Secretariado Fraterno Nacional onde foram planejadas as atividades da JUFRA do Brasil; pelo terceiro ano consecutivo enviamos uma jufrista para Missão Amazônia e lançamos o Caderno Nacional de Comunicação, além de tantas outras atividades.
Com a graça de Deus chegamos a 2018. É o ano da IMMF – Infância, Micro e Mini Franciscanos, uma das prioridades da JUFRA do Brasil. É nosso sonho, nossa esperança, nossa missão cuidar do futuro, evangelizar as crianças a partir do carisma Franciscano.
Esse ano será histórico, pois foi destinado para desenvolvermos as atividades com a IMMF e revisarmos as suas Diretrizes. Isso acontecerá através de cinco Escolas de Formação que serão realizadas nas Áreas e de um “Seminário Nacional em IMMF e Formação”. As orientações dessas atividades logo serão divulgadas. Aguardem!!!
Precisamos de todos para a construção desse projeto que requer dedicação, esforço e trabalho. O Secretariado Nacional está procurando os meios possíveis para garantir a eficácia dessas atividades, colaborando para que os Regionais possam efetivamente participar.
No entanto, É UMA PRIORIDADE DA JUFRA DO BRASIL! Ou seja, tanto o nacional, quanto o regional, quanto à fraternidade local tem que estar disponível e atenta a esse projeto, colaborando, formando e incentivando cada irmão e irmã nessa construção. Juntos fazemos acontecer!!!

Por isso, é preciso que o Regional prepare-se financeiramente. Como??? Organizando meios para arrecadar recursos financeiros... rifas, bingos, dia D para as finanças, pedidos de doação, vendas de bolos e artigos artesanais... e tantas outras ideias que as fraternidades possam ter de acordo com as suas realidades.
Isso faz parte de uma boa gestão econômica. Aqui recordamos que a gestão econômica das nossas fraternidades nos diversos níveis também é prioridade da JUFRA do Brasil, eleita no último Congresso Nacional (2016).
É importantíssimo incentivar/lembrar principalmente a Secretaria de Finanças Local e Regional, bem como todos (as) irmãos (ãs) com relação à Contribuição Fraterna Anual. Claro que cada um colaborando, na medida de suas possibilidades, geram-se mais recursos para os Regionais e consecutivamente para o Nacional. Esta é uma ação fraterna com resultados para o bem de todos.

CONTRIBUIÇÃO FRATERNA AO NACIONAL DA JUFRA - ANO 2017


Lembrando que a data limite do Repasse será no dia 06 de março de 2018, por isso, por gentileza que cada Regional entre em contato e confirme sua contribuição anual. Devemos aqui lembrar que é dever de cada jufrista contribuir anualmente, uma vez que essa é a receita da JUFRA nos seus diversos níveis.
                 "A contribuição fraterna também é um ato de responsabilidade, desapego, obediência e amor à fraternidade”.
Atente-se para a contribuição do ano, está é prioritária e não fica acumulada para o próximo ano. Sabemos da dificuldade que é organizar as finanças, porém essa é uma ação contínua e precisa da “boa vontade”, tanto dos líderes regionais, quanto de cada fraternidade. É possível e vemos o exemplo de muitos que conseguiram. Então, vamos colocar “a mão na massa”!!!
Seguem os dados para depósito. Solicito que enviem o comprovante por email: humberto-ml@hotmail.com ou pelo Whatsapp: (67) 9 9679-7805, para confirmarmos e enviarmos o recibo correspondente.



Disponibilizo meus contatos e disponho-me para qualquer esclarecimento, dúvida ou sugestão.

Finalizo, agradecendo a compreensão e aguardo o retorno dos regionais.
Abraços Fraternos,


Humberto Martins de Lima Magalhães
Secretário Nacional de Finanças

(67) 9 9679-7805 (VIVO)


quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

“É com alegria que a gente participa!” Presença Franciscana no 14º Intereclesial das CEBs



          Entre os dias 23 e 27 de janeiro de 2018, em Londrina-PR, aconteceu o 14º Encontro Intereclesial das Comunidades Eclesiais de Base (CEBs), com o tema “CEBs e os desafios no mundo urbano” e o lema “Eu vi e ouvi os clamores do meu povo e desci para libertá-lo.” (Ex 3,7). O Encontro reuniu mais de 3.300 delegados e delegadas de todos os Regionais do Brasil, incluindo 60 bispos, e ainda mais de mil membros das 26 Equipes de Serviço que trabalharam em diversas áreas durante o evento.
            Através do método Ver-Julgar-Agir, o enfoque do 14º Intereclesial visou obter uma percepção da realidade das cidades, captando nela os anseios dos pobres e buscando pistas de ação para a atuação das Comunidades e da Igreja em geral neste contexto. Acerca do encontro, o Papa Francisco enviou uma mensagem incentivando que: “ouvindo o clamor dos pobres e famintos de Deus, de justiça e de pão, as Comunidades Eclesiais de Base possam ser, na sociedade e Nação brasileira, um instrumento de evangelização e de promoção da pessoa humana (...)”.
            Participaram do Intereclesial, como delegados/as ou convidados/as, centenas de leigos/as, religiosos/as, diáconos, presbíteros, bispos, representantes dos povos indígenas, de Igrejas Cristãs e de outras religiões. Uma presença significativa dentre os/as participantes foi a da Família Franciscana, através dos franciscanos e franciscanas que, por compromisso evangélico e identificação espiritual da opção pelos pobres, caminham junto às CEBs em suas Paróquias, Dioceses e Regionais.
            “A Família Franciscana do Brasil está presente aqui neste encontro de forma muito bonita, porque aqui está muito o espírito de Francisco, na Igreja que nasce do povo, junto com as Comunidades. A Igreja que testemunha o Evangelho junto às mais diferentes realidades sociais”, disse o capuchinho Frei Wilson Dallagnol,OFMCap de Canoas-RS. Já a Irmã Mariana Barbosa, da Congregação das Irmãs Franciscanas de Allegany, de Cristalândia-TO, afirma que: “É com alegria que a gente participa e encontra outros companheiros que estão na mesma luta, que estão junto da gente”.
            Em mensagem enviada ao 14º Intereclesial, o presidente da Conferência da Família Franciscana do Brasil (CFFB), Frei Éderson Queiroz,OFMCap, afirmou que é preciso revitalizar as Fraternidades franciscanas no espírito das origens e no espírito das CEBs, pois a realidade urbana têm o direito de encontrar na Vida Fraterna um caminho seguro. “O ser franciscano não é uma peça de museu, mas alguém, encharcado pelo Evangelho, mergulhado na realidade existencial”, disse.
         Para Dária Ramos,OFS, de Recife-PE, leiga professa da Ordem Franciscana Secular, os franciscanos/as não podem resumir sua vida a oração, convivência na Fraternidade e inúmeras reuniões, sem ter um trabalho na Comunidade. “Eu, como franciscana, trabalho na Fraternidade e no Regional no serviço da COODHJUPIC, e acho que é um serviço que os franciscanos deveriam se jogar!”. Sobre a questão política, afirma: “Alguns franciscanos acham que entrar em política é só a política partidária. A gente precisa ter é uma política de lutar para conseguir as coisas, não só para nossa Fraternidade, mas para nossas Comunidades”.

Elson Matias,OFS/JUFRA e Gleice Francisca,OFS
Fraternidade OFS Tomás de Celano – Foz do Iguaçu-PR

Membros da Equipe de Comunicação do 14º Intereclesial das CEBs

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

JUFRA DO BRASIL: 47 ANOS DE SONHOS E LUTAS. SOMOS TODOS CONSTRUTORES DESSA HISTÓRIA

A imagem possui rostos de jufristas que formam o número 47. Considerando que temos relatos históricos de experiências de Juventude Franciscana em alguns locais do Brasil em anos anteriores, é entretanto no ano de 1971 que oficialmente nossa história começa a ser celebrada.



Entenda mais:


A  data e o acontecimento considerados como a fundação da JUFRA do Brasil estão ligados ao convite que a JUFRA de Ponta Grossa-PR, ligada aos Capuchinhos, recebeu para participar da reunião anual do Conselho Nacional da OFS Capuchinha, em Recife-PE, em janeiro de 1971, sendo representada pela jufrista Ivone Barszcz. Nesta reunião esteve presente o Ministro Geral dos Capuchinhos, Frei Pascoal Riwalski, o qual solicitou à OFS que desse ao movimento jufrista uma organização nacional. Ivone foi nomeada Presidente Nacional da JUFRA e voltou à Ponta Grossa-PR com o encargo de organizar uma Equipe Nacional com os/as jufristas da sua Fraternidade. (Com informações de: LIMA, Emanuelson Matias de. Histórico, organização e objetivos da JUFRA in: Juventude Franciscana do Brasil, Livro da Etapa de Formação Inicial, 1ª Edição, 2016.)


domingo, 31 de dezembro de 2017

2018 - O ANO NACIONAL DO LAICATO


Abertura do Ano do Laicato, uma mensagem!

            O Concílio Ecumênico Vaticano II, esse “novo Pentecostes” da Igreja continua vivo e valorizando a vocação e missão dos cristãos leigos e leigas, compreendendo-o plenamente Igreja. Supera a imagem de leigo visto como aquele que não sabe, aquele que não é, aquele que precisa ser levado a, apresentando uma visão positiva, reafirmando a sua plena incorporação à Igreja e seu mistério. “Estes fiéis foram incorporados a Cristo pelo Batismo, constituídos Povo de Deus e, a seu modo, feitos partícipes do múnus sacerdotal, profético e régio de Cristo, pelo que exercem sua parte na missão de todo o povo cristão na Igreja e no mundo” (LG, 31).
O Concílio fundamentou toda a Igreja nas missões de Cristo e do Espírito, pois é o Espírito que capacita todas as pessoas batizadas para participarem na obra de Cristo oferecendo usas vidas como sacrifício espiritual, a escutarem e proclamarem a Palavra e trabalharem pela vinda do Reino de Deus (cf. LG, 31).
Somos chamados por Deus, por vocação própria, como sujeitos eclesiais, a agirmos no tecido humano da sociedade, na política, na economia, na cultura, na educação, na comunicação, no campo e na cidade.
Somos muitos, somos Igreja, formamos um só Corpo em Cristo Jesus (cf. Rm.12,5).
Leigos e leigas, sujeitos na Igreja e Sociedade, chamados a uma “Igreja em saída”, que se espelha em Cristo e em sua missão, o Reino de Deus, como “sal da terra, luz do mundo e fermento na massa”.
Que neste Ano do Laicato, possamos viver intensamente nossa vocação, identidade, espiritualidade e missão.
Que neste Ano do Laicato possamos intensificar a presença e organização dos cristãos leigos e leigas no Brasil, articulando o Conselho Nacional do Laicato do Brasil em todas as prelazias, dioceses e arquidioceses de nossos regionais. Seja esta a nossa meta para a integração das diversas expressões e organizações do laicato, para despertar nos leigos e leigas uma consciência crítica e participar nas atividades da Igreja como sujeito eclesial, para viver a comunhão com os demais membros da Igreja, para a capacitação e formação de um laicato maduro e organizado, com vistas à uma sociedade justa, fraterna e solidária.
Um feliz e abençoado Ano do Laicato a toda a Igreja!


Marilza José Lopes Schuina – presidente do CNLB

segunda-feira, 25 de dezembro de 2017

MENSAGEM DE NATAL!



Vai nascer!

Os poderosos não queriam que Ele nascesse!
Os doutores da Lei queriam que Ele morresse!
Os fariseus armavam contra,
Os fieis teimavam em acreditar
Que um dia nasceria para o mundo o Messias.
De Nazaré a Belém,
Observou a lei, realizou sobretudo o bem!

Desejosos pelo renascer do Amor e da Esperança, do reabastecimento espiritual e estimulados pelo sentimento que trazemos novamente ao coração nesse dia tão especial, conforme a tradição da Igreja, dos nossos pais e da experiência de fé, queremos nos fazer próximos de cada irmão e irmã jufrista dessa nossa terra Natal, o nosso amado Brasil.

Em tempos difíceis, só o Amor para transformar o medo da morte em vida, a manjedoura em berço, dar a juventude um ideal, coragem aos oprimidos, sabedoria aos ignorantes  e contínuo sentido a Igreja.
Apresse-se, volte seu olhar, eis o momento do parto, da oportunidade, do Amor, da Esperança.
Vai nascer!

E no momento da graça, do nascimento, estejamos sempre ao redor da manjedoura, ela é central, pois nosso Rei Salvador escolheu o lugar mais simples, para assim confundir aos sábios e entendidos.

Nossos gestos ficarão gravados na retina de Deus: a oração, as mãos e gestos que se encontram na partilha, o ombro fraterno oferecido diante das resistências que cansam os irmãos, a presença no leito dos doentes, a visita ao preso, a palavra amorosa ao redor da mesa que une a família.
Festejamos e nos alegramos com esse momento tão sublime. Ele Nasceu! É Natal!

O Secretariado Fraterno Nacional da Jufra do Brasil deseja a todos e todas um feliz e Santo Natal!

domingo, 24 de dezembro de 2017

FELIZ NATAL BENFEITORES/AS




Paz e bem, irmãos e irmãs!


Ao longo deste ano, a Jufra do Brasil realizou inúmeras atividades, visitas fraternas e acompanhou o mais próximo possível a realidade de todos os nossos regionais, sendo presença fraterna, marcante e solidária. Todo esse trabalho bonito foi possível graças a ajuda das contribuições fraternas, doações e da nossa rede de benfeitores.
Esta última foi uma novidade muito gratificante! Através de irmãos que reconhecem a contribuição da Jufra em sua caminhada, e que decidiram, de algum modo, retribuir esse carinho que receberam, a concretização de nossos sonhos tem acontecido.
Agradecemos aos nossos benfeitores por todo o amor, orações e ajuda. Que Francisco e Clara sempre intercedam por vocês junto a Deus.
Um grande abraço cheio de fraternidade.

Seja você também um benfeitor/a da JUFRA do Brasil, acesse: https://benfeitoresjufra.wixsite.com/jufra

quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

QUANDO UM PRESÉPIO OFENDE A DEUS

Por Frei Diego Melo, OFM


Nesses últimos dias fiquei pensando e refletindo o quanto um presépio, uma inocente representação do nascimento de Jesus em meio aos últimos, excluídos, criminalizados e descartados de nossa sociedade pode ser uma grande 'ofensa a Deus, uma heresia, uma blasfêmia e um verdadeiro escândalo'.
Fiquei pensando que essas expressões não são de agora e nem surgiram apenas ao ver o menino Jesus posto em meio a gente de má fama, pois esses sentimentos já brotaram há muito tempo no coração dos fariseus, doutores e mestres da lei.
Fiquei lembrando dos inúmeros conflitos que Jesus teve que enfrentar com aqueles 'fiscais da fé', aquelas pessoas de bem e de religião que ao olhar as suas atitudes não conseguiam ver outra coisa senão uma grande heresia e uma ofensa a Deus.
Era demais aceitar aquele Jesus comendo com pecadores, se deixando acompanhar por mulheres de má fama, protegendo viúvas, defendendo prostitutas, elogiando a atitude misericordiosa de samaritanos pagãos ao invés dos sacerdotes do templo, chamando a Deus de pai, pregando que quem não estava contra ele era a seu favor.
De fato muita gente achou que o que Jesus fazia era uma ofensa a Deus, pois ao invés do ódio aos inimigos ela pregava o amor e a tolerância, ao invés da vingança e do ‘olho por olho e dente por dente’ ele pregava o perdão e a reconciliação. Era uma verdadeira blasfêmia fazer milagres e realizar curas em pleno dia de sábado, quando a lei judaica proibia qualquer atividade naquele dia dedicado ao Senhor..
Para quem pensa a partir da lógia legalista e meritocrata, o presépio também é uma grande ofensa a Deus, afinal, o menino Jesus não nasceu em um lugar luxuoso, puro e sagrado dentro do grande templo de Jerusalém, mas veio em meio aos animais de uma pobre estrebaria. Veio como criança pobre e indefesa e se deixou adorar por três reis magos que não eram nada puros ou 'religiosos', pois eram astrólogos pagãos. Atraiu primeiramente a três pastores, gente inculta, impura e que não praticava a religião. Mais ainda, aquela criança, filha de um relacionamento fora de um casamento, de uma jovem provinda de uma simples e desprezada cidade da periferia do mundo, cuidada por um pai adotivo, só poderia ser 'causa de escândalo e ofensa a Deus'.
De fato, esse Jesus com a sua história, sua família, seu jeito de ser e suas escolhas era tão perigoso, que em nome da moral, dos bons costumes, da religião e da ordem, o melhor que poderia ser feito era extirpá-lo entregando-o como um malfeitor e blasfemo. E assim o fizeram!
E hoje, mais uma vez, esse Jesus que continua fazendo as mesmas escolhas que fez há mais de dois mil anos, continua sendo considerado 'blasfemo', 'imoral' e 'revolucionário' demais, de modo que é melhor continuar matando-o através de nossas pregações piegas e desencarnadas, das nossas interpretações de acordo com as nossas conveniências, dos nossos falsos moralismos, preconceitos, julgamentos e exclusões. É melhor deixá-lo bem quietinho e só relembrar de contar as suas histórias e os seus feitos que muitas vezes nos causam emoção e lágrimas e servem para anestesiar as nossas consciências, mas que em nada provocam e mudam a nossa vida.
Esse mesmo Jesus, sinal de ofensa a Deus, continua sendo perseguido pelos fiscais da fé e pelas pessoas de religião, gente que na noite de Natal emociona-se ao ver a encenação do Nascimento do Deus-menino, mas que não entende o real alcance daquele acontecimento.
De fato, para quem pensa a partir da lógica de um Deus que veio somente para os puros e santos, e que só sabe punir os pecadores e castigar os maus, esse Jesus certamente continuará sendo uma grande e irremediável 'ofensa a Deus'.
Por fim, gostaria de lembrar o aniversário natalício do Papa Francisco. Confesso que tenho a impressão de que para os fariseus e doutores da lei de hoje, os fiscais da fé, também o Papa Francisco está causando grandes transtornos e escândalos para os nossos tempos. Na minha humilde opinião, estou querendo achar que o Papa Francisco anda imitando demais os passos de Jesus e o seu modo de ser, de modo que ele, tal qual Jesus, já está sendo acusado de ser também um 'escândalo', um 'blasfemo' e uma verdadeira 'ofensa a Deus'.


SAIBA MAIS:

24º Exposição de Presépios no Valongo

Nota de Esclarecimento

quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

REGIONAL NORTE II REALIZA CONGRESSO ELETIVO


Nos dias 25 e 26 de novembro de 2017, na cidade de Abaetetuba, foi realizado o VIII CORJUFRA Eletivo do Regional Norte II Pará Leste/Amapá. Com o tema: “A vocação franciscana como entrega generosa a serviço do Senhor e dos irmãos.”, e o lema: “A JUFRA que queremos ser!”. O Congresso contou com a participação das Fraternidades, Núcleos e Experiências de Jufra deste Regional, além da presença dos frades, da Ordem Franciscana Secular (OFS) e da representante do Nacional Jéssica Lima (Secretária Nacional para a Área Norte A). O Congresso teve momentos de palestra, apresentação de relatório das fraternidades e do Regional, indicação e eleição do novo Secretariado Regional. Onde foram eleitos os irmãos Cleicilene de Sousa Ferreira (Secretaria Fraterna Regional), Lucilene Silva (Formadora Regional), Luana Feitosa (Secretária do 1º Distrito) e Manoel Martins (Secretária do 2º Distrito), além disto, houve a eleição do Conselho Fiscal. Houve ainda Noite Cultural e convívio fraterno.

O Congresso foi um momento de encontro e confraternização, onde cada irmão pôde perceber a importância do sim e da entrega ao serviço. 

sábado, 2 de dezembro de 2017

OFICIALIZAÇÃO DE FRATERNIDADE ACONTECE EM MANAUS - AM


Olha mais uma fraternidade Oficializada aí, Gente!!!

No dia 25 de novembro de 2017 foi realizada a oficialização da Fraternidade Padre Zózimo (a única fraternidade até o momento do Regional Norte 1) na Igreja Nossa Senhora Rainha da Paz ,rua boa esperança, Manaus-AM.
Às 19h foi iniciada a Santa Missa, presidida por Padre José Severino, co-celebrada por frades do convento Santo Antônio  e Frei Wellington Buarque, quem auxiliava no momento do rito. Após a homilia se iniciou o rito da Oficialização dos setes jovens que que disseram sim para este compromisso de vida. Frei Wellington ressaltou que os jovens não estão se tornando frades ou freiras, mas jovens leigos que desejam se dedica à Juventude Franciscana. Em seguida foram abençoados os taus e dados para os jovens  através de irmãos-padrinhos da OFS aos Jufristas.  Após a entrega dos Taus, houve a entrega da Bíblia onde cada jovem pronunciou seu compromissa de vida em fraternidade.
 Após esses momentos de muita emoção os jovens foram  apresentados à comunidade como “Jufra” além de leitura da Ata de Fundação e agradecimentos em nome da fraternidade pelo Irmão Rodrigo Santos, que ressaltou a importância da Fraternidade de OFS local por ter dado tamanho apoio para que o retiro acontecesse da melhor forma. Os agradecimentos se estenderam à comunidade e a JUFRA do Brasil.
É, mas não acabou por aí! É a primeira fraternidade e teve Eleição para constituição do Primeiro Secretariado Local (2018-2019) com a Adrielly (responsável pela Área norte), Juliana (Formadora Nacional) e frei Wellington (Assistente Espiritual Nacional). Todos se demonstravam dispostos e cientes da missão que cada um iria ficar. A eleição foi feita por aclamação, conduzida pela Irmã Juliana. Foi realizada eleição, onde falamos quem poderia estar naquele secretariado e no fim das votações ficou dessa forma o secretariado local:
Secretariado eleito no último dia 25 (oficialização da fraternidade Padre Zózimo-Jufra) para o próximo biênio (2018-2019):
Graciele Silva- Secretária Fraterna Local
Marcus Henrique- Secretário de formação
Rodrigo Santos- Secretário de IMMF
Manoel Nunes- Secretário de comunicação, arquivo e registro
Caio Silva- Secretário de finanças
Emily oliveira- secretária de DHJUPIC
João Victor- Secretário de Ação Evangelizadora




“Nos colocamos à disposição da JUFRA do Brasil e contamos com orações para que permaneçamos na caminhada. Sabemos que não será fácil, mas queremos espalhar o carisma franciscano por aqui. Agradecemos a acolhida e mensagens de vários irmãos de várias fraternidades espalhadas por nosso país. Tudo está sendo novo para nós, mas sabemos que não estamos sozinhos. E o Senhor nos deu irmãos! Paz e Bem, Família Franciscana!’’ Rodrigo Santos, Secretário de IMMF.

Fraternidade Padre Zózimo

Manaus, 29 de Novembro de 2017.

terça-feira, 28 de novembro de 2017

I CORJUFRA AVALIATIVO E EXTRAORDINÁRIO DO REGIONAL BAHIA SUL ACONTECE EM JEQUIÉ - BA


Aos dezoito dias do mês de novembro do ano de dois mil e dezessete, na cidade Jequié Bahia, realizou-se I CORJUFRA Ordinário Avaliativo e Extraordinário de formulação e aprovação do estatuto do Regional NEB4-Bahia Sul, cujo tema, “O ‘sim’ da jovem Maria: a fé é superior ante a dificuldade de servir, e lema “Eis aqui a serva do Senhor! Faça-se em mim segundo a tua palavra.” (Lc 1, 38), com a presença do representante dos Frades Menores Capuchinhos (Bahia e Sergipe); de membros da OFS Fraternidade Santa Clara (Itabuna-Ba) e Fraternidade São Francisco de Assis (Itapetinga-Ba); o Secretário Nacional para área Sudeste (JUFRA do Brasil) e representantes das Fraternidades: Água Viva (Jaguaquara-Ba); Fransciclariana (Jequié-Ba); Perfeira Alegria (Itajuípe); Mensageiros Franciscanos (Vitória da Conquista-Ba) e Luz de Assis (Eunápolis-Ba).



Joao Vitor Santana da Hora
Secretário Regional de Comunicação Social, Registro e Arquivo

 Regional NE B4 - Bahia Sul
















sábado, 25 de novembro de 2017

JUFRA E CONFERÊNCIA DA FAMÍLIA FRANCISCANA DO BRASIL LANÇAM 8ª JORNADA FRANCISCANA NACIONAL PELOS DIREITOS HUMANOS

Queridas irmãs, queridos irmãos,
paz e bem!

A nossa Jornada Franciscana Nacional pelos Direitos humanos chega à sua oitava edição. Com o tema “Água e Direitos” e lema “Louvado Sejas, meu Senhor, pela irmã Água”, nos empenharemos em um processo de reflexão e ação em defesa da água como bem comum, contra sua privatização, buscando viver nossa missão profética na defesa da vida em todas as suas dimensões.

Neste ano, a Jornada será assumida por toda a Família Franciscana do Brasil. Durante o Capitulo da Esteiras realizado pela Conferência da Família Franciscana do Brasil, franciscanas e franciscanos assumiram a JFNDH como compromisso de trabalho. “Dessa cidade de Aparecida, Nossa Senhora, Padroeira do Brasil, resgatada das águas de um rio, hoje poluído e degradado, nos faz eleger dentre os diversos apelos um compromisso particular com a Irmã Água. Deste modo, nos empenharemos na construção de um processo de reflexão e ação em defesa da água como bem comum, que se dará através da participação da família em jornadas, fóruns e nas iniciativas de fortalecimento dos trabalhos ligados à promoção da Justiça e da Integridade da Criação” (Carta de Aparecida).

Resoluções das Nações Unidas reconhecem que a água é um direito fundamental. Não há vida sem água e ela é um bem comum que deve ser compartilhado entre toda a humanidade e os seres vivos. Segundo o Papa Francisco, “Enquanto a qualidade da água disponível piora constantemente, em alguns lugares cresce a tendência para se privatizar este recurso escasso, tornando-se uma mercadoria sujeita às leis do mercado. Na realidade, o acesso à água potável e segura é um direito humano essencial, fundamental e universal, porque determina a sobrevivência das pessoas e, portanto, é condição para o exercício dos outros direitos humanos.

Nesse grave contexto, inspirados pelo Francisco de Assis e o Francisco de Roma, assumimos o nosso carisma franciscano na defesa da nossa casa comum, contra a mercantilização da água e a transformação desse direito em um recurso inalcançável para muitas populações, principalmente as mais pobres e marginalizadas. Que esta jornada fortifique nossas fraternidades e comunidades no cuidado e na defesa da água, que os diversos ramos de nossa família franciscana se unam com outras organizações e movimentos religiosos e não-religiosos, para garantir que a água continue sendo, de fato, fonte abundante de vida, direito humano e da natureza.

Fraternalmente,

Frei Éderson Queiroz
Presidente da Conferência da Família Franciscana do Brasil
Washington Lima
Secretário Fraterno Nacional da Jufra do Brasil
Igor Bastos

Secretário Nacional de DHJUPIC da Jufra do Brasil

Para baixar os materiais, clique aqui.

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL, REGISTRO E ARQUIVO DA JUFRA DO BRASIL LANÇA O SEU PRIMEIRO MANUAL PARA COMUNICADORES


“Não temos outra felicidade nem outra prioridade que não seja sermos instrumentos do Espírito de Deus na Igreja, para que Jesus Cristo seja encontrado, seguido, amado, adorado, anunciado e comunicado a todos, não obstante todos as dificuldades e resistências. Este é o melhor serviço – seu serviço! ”
(V Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano e do Caribe, Documento de Aparecida, nº 39)


Amados irmãos e irmãs da JUFRA do Brasil, Paz e Bem!

É com imensa alegria que apresentamos a 1ª edição do Manual de Comunicação Social, Registro e Arquivo da JUFRA do Brasil. (BAIXE AQUI) (LEIA ONLINE)
Fruto da ação conjunta das Secretarias Nacional e Regionais de Comunicação Social, Registro e Arquivo, ele surge do desejo e da necessidade dos Secretários e Secretárias, em seus diversos níveis, conhecerem melhor o serviço que devem desempenhar em suas Fraternidades.
Cientes do quanto é importante o registro de atividades, o cuidado com o arquivo e uma comunicação social eficiente e de qualidade, o Secretariado Nacional do triênio 2016-2019 aprovou o projeto de elaboração desse Manual, já apontado como recomendação pelo Secretariado do triênio anterior.
Para tanto, contamos com a participação das Secretarias Regionais de Comunicação, Registro e Arquivo que apontaram as principais carências no que se refere à formação do comunicador. A partir de então, foi montada a Equipe Nacional de Comunicação para o desenvolvimento desse projeto, bem como dar suporte aos demais serviços pertinentes à comunicação nacional. Após o amadurecimento de ideias, compusemos esse material, rico em informações que devem padronizar o modelo da comunicação nacional sem privar a autonomia e criatividade das Fraternidades no desenvolvimento do serviço.
Agradeço a todos que contribuíram direta e indiretamente para a criação desse material e, de forma especial aos irmãos e irmãs membros da Equipe Nacional de Comunicação, a saber: Emanuelson Matias de Lima – Assessor Nacional para Registro e Arquivo, José Ferreira de Paula Neto – Assessor para Redes Sociais/ Secretário de Comunicação Social, Registro e Arquivo – Regional NE B1 (PE/AL), Letícia Lima de Araújo – Assessora para Design/ Secretária de Comunicação Social, Registro e Arquivo – Regional NE A2 (CE/PI) e Eliane Maria Souza Ferreira – Assessora para Revisão/ Assessora de Comunicação Social, Registro e Arquivo – Regional NE A2 (CE/PI) , bem como aos irmãos Frei Wellington Buarque, OFM, Frei Alexandre Patucci, OFM Cap, Assistentes Espirituais Nacionais, Jéssica Maria de  Lima Rocha – Secretária Nacional para a Área Nordeste A e Washington Lima dos Santos – Secretário Nacional da JUFRA do Brasil.


Danielle Maria dos Santos e Silva
Secretária Nacional de Comunicação, Registro e Arquivo da JUFRA do Brasil

Triênio 2016-2019



quarta-feira, 15 de novembro de 2017

SECRETARIADO NACIONAL DA JUFRA DO BRASIL SE REÚNE EM BRASÍLIA-DF




Neste último fim de semana, de 10 a 12 de novembro, o Secretariado Fraterno Nacional da JUFRA do Brasil esteve reunido em Brasília-DF. Em Fraternidade os irmãos/ãs avaliaram a caminhada da JUFRA nesse ano de 2017, bem como traçou metas para o ano de 2018.
Com a graça de Deus, esperamos concluir bem o ano de 2017 e ter êxito nos projetos almejados para 2018.




sexta-feira, 10 de novembro de 2017

SOLIDARIEDADE A FREI RODRIGO PÉRET, PRESO EM ZIMBABWE POR DEFENDER NOSSA CASA COMUM

A Família Franciscana do Brasil manifesta solidariedade a Frei Rodrigo Péret e aos irmãos e irmãs ativistas socioambientais, defensores da nossa casa comum, presos hoje em Zimbabwe, na África. Os irmãos/as realizavam visitas às comunidades afetadas pela mineração na cidade de Mutare, quando foram presos por estarem do lado dos mais pobres e oprimidos. Apelamos pela colaboração das entidades e governos responsáveis, tanto do Brasil como do Zimbabwe, para que a situação seja resolvida o mais rápido possível.



Por BBC Brasil:
Frei e ativistas brasileiros são presos em zona de mineração de diamantes no Zimbábue
Um grupo de brasileiros, incluindo um frei católico, foi preso nesta sexta-feira durante uma visita a uma região de mineração de diamantes em Mutare, no Zimbábue.

Pelo menos três brasileiros e outras 19 pessoas de países como África do Sul, Zâmbia, Quênia e Uganda foram levados por um ônibus da polícia local a uma prisão da cidade, a 270 quilômetros da capital, Harare, na fronteira com Moçambique.

O Itamaraty já foi informado sobre as prisões e ainda não divulgou informações sobre a situação dos brasileiros.

Entre os brasileiros presos estão o Frei Rodrigo Peret, da Comissão Pastoral da Terra de Uberlândia (MG), Maria Julia Gomes Andrade e Jarbas Vieira, do Movimento de Atingidos pela Mineração.

A BBC Brasil conversou com a sul-africana Mercia Andrews, do movimento internacional de direitos humanos People's Dialogue (Diálogo dos Povos), que estava no local das prisões.

Ela acompanhava a missão de ativistas da região de Marange, conhecida como uma das principais reservas de diamantes do planeta, cujas licenças de exploração foram ampliadas recentemente pelo governo do Zimbábue.

"Estávamos conversando com os moradores da área, que estão sendo removidos de suas casas e relatavam abusos e limitações em seu direito de ir e vir", diz Andrews.

Policiais teriam chegado ao local e levado os presentes em um ônibus para a prisão.

Reportagem completa: http://www.bbc.com/portuguese/internacional-41950575