segunda-feira, 30 de março de 2020

ATUALIZAÇÕES NO SFN (2019-2022)

Paz e bem! É com alegria que divulgamos os novos irmãos e irmãs que estarão a serviço da Juventude Franciscana do Brasil até o final deste triênio, somando nessa caminhada! Agradecemos imensamente aos irmãos Carlinhos (Francisco Carlos da Rocha), Ir. Viviane Ramos da Costa e Felippe Manoel por toda a dedicação e amor com que contribuiram ao Secretariado Fraterno Nacional da JUFRA. Gratidão pelo 'SIM' de cada um e cada uma. Que o Bom Deus abençoe e ilumine os trabalhos dos novos irmãos e irmãs. Sejam bem vindos e bem vindas!
ASSISTENTE ESPIRITUAL NACIONAL
ASSESSOR DA REDE DE BENFEITORES
SECRETÁRIA NACIONAL DE COMUNICAÇÃO
EQUIPE DE COMUNICAÇÃO*
EQUIPE DE ARTICULAÇÃO DA INAFRA**

* É importante ressaltar que a Equipe de Comunicação foi criada para poder atender a todo o serviço dessa secretaria, com o intuito de realmente conseguirmos prioriza-lo, conforme determinação das resoluções e recomendações do CONJUFRA em Anápolis/GO.
** Quanto a Equipe de Articulação Nacional da INAFRA (Infância e Adolescência Franciscana), trata-se de uma necessidade para o tempo de experimentação dos documentos produzidos no II Seminário Nacional da JUFRA em IMMF. A principal função da equipe é acompanhar, promover e articular a INAFRA no Brasil. Ela será coordenada por nossa Secretária Nacional de IMMF (INAFRA), Daniele Pereira Mendes e ainda contará com Gleice Francisca Pereira da Silva, do Colegiado Nacional da Animação Fraterna. Cada irmão/irmã é responsável por uma das quatro dimensões de acordo com as diretrizes de formação.

sábado, 28 de março de 2020

OFS: "Carta em Defesa da Vida"


Rio de Janeiro, 27 de março de 2020. 
CARTA EM DEFESA DA VIDA 2020 
Aos irmãos e às irmãs da Ordem Franciscana Secular,
Paz e bem!
"Reconciliai-vos com Deus." (2Cor 5,20)
“Escolhe, pois, a Vida.” (Dt. 30,19)

Durante o período quaresmal deste ano de 2020, o mundo está diante da Pandemia do Covid-19 (coronavírus). São duas vozes bem distintas, mas que nos levam ao encontro de um mesmo discurso: a Penitência.
Nós, franciscanos e franciscanas seculares, somos chamados a permanecer fiéis ao nosso carisma penitencial, passando da vida ao evangelho e do evangelho à vida (Reg. 4).
E neste período que antecede a festa da Vitória da Vida, de um modo especial, somos chamados ao exercício de um profundo exame de consciência para nos reconciliarmos com Deus. E quem se reconcilia com Deus deve reconciliar-se com seus irmãos, porque a vida de penitência é extremamente fraterna. E, assim, viver em fraternidade significa estarmos unidos a uma só família, a um só corpo, a um só Deus.
Então: Quem somos? Com quem caminhamos? De qual projeto somos colaboradores? Por que colaboramos? Como colaboramos? É diante de todas estas questões que precisamos parar, pensar e agir como católicos e franciscanos em resposta ao Covid-19 e seus desdobramentos.
Essa nova pandemia nos expõe a diversos dilemas e, talvez, um dos maiores seja: Economia x Saúde, ou melhor, Dinheiro x Vida.
Jesus Cristo veio anunciar a vida em primeiro lugar e seus ensinamentos nos afirmam que toda vida é importante, pois é um bem comum doado a todos (Jo 10,10). Diante desta máxima não deve haver argumentos, principalmente partindo daqueles que foram batizados e, por isso, são novas criaturas, raios da luz, filhos de vida.
Neste mistério encontramos a liberdade do amor. E esse amor é exigente e requer escolhas. Escolhe, pois a vida! (Dt 30,15-20 e Lc 9,22-25).
Assim, a economia deve estar a serviço da vida e não o contrário. Aprendamos com a Laudato Si’! Observemos que existem práticas solidárias da economia que nos ensinam a partilha dos bens. Igualmente, são sinais de esperança criativa: a agricultura familiar, a educação popular, a democratização midiática, a resistência artística, a ecoteologia, o diálogo inter-religioso, o ecumenismo... Sinais de um novo céu e de uma nova terra.
Mesmo assim, ainda percebemos vários contrassensos na sociedade, uma absurda inversão de valores e, também entre nós, desobediência tácita. Lembremos sempre: não podemos servir a Deus e ao dinheiro (Mt 6, 24). “Dai, pois, a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus” (Mt 22, 21).
Sabemos que o Reino de Deus já está entre nós e que o Reino se inicia neste mundo, mas que não somos deste mundo. E, com isso, precisamos estar convencidos de nossos valores batismais e percebermos que, diante das diversas crises econômicas que já experenciamos na história, encontramos nos valores do Reino a equação necessária para o bem comum.
Diante do exposto, solicitamos a todos os irmãos e irmãs da Ordem Franciscana Secular do Brasil (em observação à Pobreza, à Obediência e à Castidade) que PERMANEÇAMOS: fiéis à vida de penitência, a qual prevê que ninguém seja excluído; firmes em nosso profetismo diante dos sinais de morte; e reconciliados com Deus na defesa da vida, em todo o tempo e lugar, principalmente onde ela é mais ameaçada. Desse modo, recomendamos que atendam às orientações da Organização Mundial da Saúde e respeitem o isolamento social, evitando a propagação da doença, os riscos a tantos irmãos e irmãs, principalmente os do grupo de risco, e o colapso do sistema de saúde.
Que Santa Isabel da Hungria e São Luís Rei de França sejam nossos exemplos seculares na vivência do nosso carisma franciscano, tendo como base os seguintes pilares: Oração, Minoridade, Fraternidade e Apostolado.
Que Nossa Senhora Aparecida nos ajude a vivermos a verdadeira alegria franciscana e acolha em seu coração nossas preces por todos os que perderam seus familiares e por todos os enfermos do Covid-19. Que Deus abençoe as lideranças do poder público brasileiro e todos os profissionais envolvidos na contenção da pandemia.
Fraternalmente,

Maria José Coelho - Ministra Nacional
Helio Gouvêa - Coordenador Nacional de JPIC

Colaboração na redação do texto: Francisco Araújo, OFS

sexta-feira, 27 de março de 2020

Papa Francisco: A ilusão de pensar que continuaríamos saudáveis em num mundo doente


Abraçar o Senhor para abraçar a esperança: esta é a mensagem do Papa Francisco aos fiéis de todo o mundo que, neste momento, se encontram em meio à tempestade causada pela pandemia do coronavírus. Diante de uma Praça São Pedro completamente vazia, mas em sintonia com milhões de pessoas através dos meios de comunicação, o trecho escolhido para a oração dos féis foi a tempestade acalmada por Jesus, extraído do Evangelho de Marcos.

Com a tempestade, afirmou o Papa, cai o nosso “ego” sempre preocupado com a própria imagem e vem à tona a abençoada pertença comum que não podemos ignorar: a pertença como irmãos.

“Na nossa avidez de lucro, deixamo-nos absorver pelas coisas e transtornar pela pressa. Não nos detivemos perante os teus apelos, não despertamos face a guerras e injustiças planetárias, não ouvimos o grito dos pobres e do nosso planeta gravemente enfermo. Avançamos, destemidos, pensando que continuaríamos sempre saudáveis num mundo doente. Agora, sentindo-nos em mar agitado, imploramos-Te: «Acorda, Senhor!»”
O Senhor então nos dirige um apelo, um apelo à fé. Nos chama a viver este tempo de provação como um tempo de decisão: o tempo de escolher o que conta e o que passa, de separar aquilo que é necessário daquilo que não é. “O tempo de reajustar a rota da vida rumo ao Senhor e aos outros.”  

Ao final da homilia, o Pontífice adorou o Santíssimo e concedeu a bênção Urbi et Orbi (à cidade e ao mundo), a todos os fiéis da Igreja Católica — cerca de 1,3 bilhão de pessoas através do mundo. Essa bênção só costuma ser transmitida no Natal e na Páscoa.


Confira a Homilia completa do Papa Francisco durante a celebração do dia 27/03/2020: HOMILIA COMPLETA


Adaptado de: Vatican News

quinta-feira, 26 de março de 2020

CARTA COMPROMISSO: XXIV Encontro das Áreas Nordeste A e B da JUFRA do Brasil

Baixe aqui: CARTA COMPROMISSO

XXIV Encontro das Áreas Nordeste A e B da JUFRA do Brasil


Nos dias 22, 23, 24 e 25 de fevereiro de 2020, aconteceu o 24° Encontro das Áreas Nordeste A e B da JUFRA do Brasil em Ilhéus-BA, tendo como tema: “Missão e profecia: ressignificando a presença da Juventude Franciscana no Nordeste” e o lema: “Missionárias e Missionários, construtores da civilização do Amor”. No sábado, primeiro dia do encontro, acolhemos os(as)  60 (sessenta) irmãos(ãs) que vieram dos sete regionais presentes no nordeste brasileiro, além de três irmãos de Altamira/PA.  Tivemos a oração de abertura realizada pelo Assistente Espiritual do regional anfitrião (NEB4- Bahia Sul), Frei Moiséis, OFMCap. e logo em seguida houve a apresentação dos relatórios expositivos dos regionais, mostrando seus avanços, dificuldades e perspectivas. À noite tivemos o convívio fraterno, realizado pela Área Nordeste A. Destacamos aqui as danças culturais, comidas típicas e toda animação dos irmãos. 


No domingo começamos celebrando a Eucaristia, ápice de nossa fé, presidida pelo Frei Nativo Couto, OFMCap. Assistente Espiritual do Regional da OFS- NEB3 (Bahia e Sergipe). Durante o dia, houve a apresentação das prioridades do triênio da JUFRA do Brasil, realizada pelos Secretários das Áreas A e B, Mayra Santos e Patrick Martins, respectivamente, discutidas nas reuniões das áreas de como trabalhar nas fraternidades locais e regionais. O dia ainda foi marcado pela exposição do tema e lema, que foi conduzido pelo Frei Henrique Santos, OFMCap. Assistente Espiritual Nacional da JUFRA, que terminou o primeiro momento de sua apresentação, deixando os(as) irmãos(ãs) encarregados de responder em grupos o seguinte questionamento: “Como jufristas missionários e profetas, qual o nosso compromisso em construir uma civilização de amor?” . O Secretário Nacional da JUFRA, Douglas Soares, foi o responsável por fazer o repasse do segundo Seminário Nacional da JUFRA do Brasil, apresentando as principais propostas resultantes desse encontro, sendo  a principal que a IMMF passa agora a se chamar INAFRA, uma terminologia nova que está em fase de teste, junto com as novas diretrizes de Formação para a INAFRA e, entre outras novidades, é importante ressaltar que todas essas novidades estão em fase de teste até o próximo Congresso Nacional (CONJUFRA) em 2022. Na noite de Domingo foi a vez da área Nordeste B conduzir o convívio fraterno, que assim como o da Área A, foi marcado por muitas danças, comidas típicas e toda a alegria do carnaval Baiano e Pernambucano.


Na segunda-feira (24), após a santa missa e o café da manhã, tiramos a foto oficial, e, em seguida, tivemos a retomada do tema pelo Frei Henrique Santos, que culminou em um lindo cartaz e na produção de uma Carta-compromisso que contém todos os desejos da Juventude Franciscana presente na região Nordeste. Com certeza, esse foi o momento mais marcante deste encontro. A Carta está disponível no link abaixo. Leiam e partilhem para suas fraternidades. À tarde, fomos conhecer as terras de “Gabriela, cravo e canela”, com um passeio turístico que terminou em um banho de mar e em duas horas dentro de um engarrafamento. Vivemos a perfeita alegria.  Em seguida houve a pausa para o jantar e o convívio fraterno, onde os irmãos abusaram de sua criatividade e arrasaram em suas fantasias.

Na terça-feira, último dia do encontro, começamos celebrando a Eucaristia, logo após houve o café da manhã e nos dirigimos para a plenária para fazermos os agradecimentos devidos à todos que indiretamente e diretamente contribuíram para o bom êxito do encontro. Após, houve a avaliação do encontro, onde cada irmão(ã) colocou seus pontos positivos e negativos e foi feita a escolha do regional anfitrião para a 25° edição do Encontro das Áreas que será no ano de 2023 e que, por unanimidade, foi escolhido o regional NEA3- Rio Grande do Norte e Paraíba. Finalizando o encontro, os frades deram a benção de envio e houve o almoço de encerramento.

Agradecemos a Deus por tudo, e nos vemos em 2023, no Rio Grande do Norte ou Paraíba. 
Mayra Caroliny de Oliveira Santos, JUFRA/OFS.
Secretária Nacional para a Área NE A

Patrick Martins Santos, JUFRA/OFS.
Secretário Nacional para a Área NE B

José Douglas Soares Cordeiro de Souza, OFS/JUFRA.
Secretário Fraterno (Presidente) Nacional da JUFRA do Brasil


Baixe aqui: CARTA COMPROMISSO

quarta-feira, 25 de março de 2020

NOTA: EM DEFESA DO SUS, DA CIÊNCIA E DA VIDA!

BAIXE A NOTA COMPLETA: Nota JUFRA do Brasil


"O ladrão vem apenas para roubar, matar e destruir; 
eu vim para que tenham vida e a tenham plenamente." (João 10,10)

Brasil, 25 de março de 2020

NOTA: EM DEFESA DO SUS, DA CIÊNCIA E DA VIDA!
Repúdio ao discurso do Presidente Jair Messias Bolsonaro (24/03/2020)

A Juventude Franciscana (JUFRA) do Brasil vem a público manifestar repúdio pelo pronunciamento do Presidente Jair Messias Bolsonaro, divulgado no dia 24/03/2020, sobre a pandemia do novo Coronavírus. Nós repudiamos os discursos mentirosos, que ignoram instruções médicas baseadas em fatos científicos, que atacam especialistas, profissionais e técnicos da saúde. A atitude do Presidente é um ataque às medidas de contenção ao COVID-19, colocando em perigo a população. Discursos como este afetam a vida de milhares de brasileiros e brasileiras que não tem acesso à informação; discursos como este, matam. Enquanto o mundo se une para tentar encontrar maneiras de superar a pandemia, o Presidente do Brasil incentiva sua transmissão a partir deste discurso, colocando em risco toda a população brasileira.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), no dia 25 de março de 2020 haviam aproximadamente 435 mil pessoas que testaram positivo para Coronavírus e 19.625 mortos. Ressalta-se que tais dados não são trazidos para causar pânico, mas sim consciência. Ao contrário do que foi falado no pronunciamento do Presidente do Brasil, o Coronavírus pode contaminar pessoas de todas as idades e, mesmo que algumas não apresentem sintomas graves, não cumprir a quarentena ou isolamento social pode significar a diferença entre a vida e a morte para outra pessoa. Além disso, o distanciamento social visa também a contenção da transmissão e não superlotação dos hospitais, que não têm estrutura e profissionais suficientes para atender de uma só vez a maior parte da população brasileira.

Sendo assim, no cenário atual, nosso papel é o de lutar. Precisamos reconhecer a importância da ciência e da pesquisa, que por vezes não é incentivada, mas que é o nosso principal instrumento de defesa contra situações como a pandemia do Coronavírus. A busca incessante pela produção de remédios eficazes, vacinas e formas de diminuir o impacto do vírus, demonstra o comprometimento da comunidade científica para com a humanidade e o quanto é necessária para a sociedade.

Precisamos defender o Sistema Único de Saúde (SUS), um dos maiores e mais complexos sistemas de saúde pública do mundo. Ele surgiu a partir da Constituição Federal de 1988 e marca a responsabilidade do Estado com o acesso universal à saúde. Com esse sistema não estamos partindo do zero no combate à pandemia do novo Coronavírus. O SUS é um direito do povo: precisamos respeitar e lutar por ele. A defesa do SUS é uma luta antiga, amplamente discutida pelos profissionais da saúde pública, tendo em vista todas as ameaças às políticas sociais, como a desvinculação de receitas e congelamento de gastos pela Emenda Constitucional 95. 

Por fim, prezamos pelas vidas, e damos destaque aos cuidados que devemos ter, como cristãos, com aqueles que estão à margem da sociedade. Pessoas que poderão ser ignoradas pelo poder público e serão mais afetadas pela pandemia. A vida se plenifica quando somos misericordiosos para com o próximo, com os mais fragilizados. Que possamos fazer aquilo que Jesus nos interpela: “Vai, e faze tu o mesmo” (Lc 10,37), em atitude de compaixão e compromisso com as pessoas. A Campanha da Fraternidade de 2020 proclama que a vida é dom e compromisso! Seu sentido consiste em ver, solidarizar-se e cuidar. A defesa da vida é atitude de compaixão, e por isso deve ser por nós levantada e sustentada, demonstrando-se também através da defesa do SUS. A vida e a saúde são direitos de todos e todas!

Diante disto, fiquem em casa! Protejam os idosos, as crianças, os jovens, os doentes e os sadios. Neste momento, ficar em casa é sinônimo de proteção, para todos e todas. Precisamos nos unir com tranquilidade, coragem e amor ao próximo. Vamos dar ouvidos aos profissionais da saúde e todos aqueles que se doam por esta causa, em prol da vida de cada um de nós. Devemos dar atenção àqueles que estudam esta área, pois eles sabem e podem falar com propriedade sobre o assunto, nos aconselhando e orientando nesse processo.

FIQUE EM CASA E DEFENDA A CIÊNCIA.
FIQUE EM CASA E DEFENDA O SUS.
FIQUE EM CASA PARA DEFENDER A VIDA!

Fraternalmente, 
Juventude Franciscana do Brasil

Nota assinada pelos(as) Secretários(as) Fraternos(as) Regionais e Nacional da JUFRA:

José Douglas Soares Cordeiro de Souza
Secretário Fraterno Nacional JUFRA do Brasil
Graciele Silva Correia
Representante Regional JUFRA Norte 1 (Amazonas, Roraima e Acre)
Cleicilene Ferreira Rodrigues
Regional JUFRA Norte 2 (Amapá e Pará Leste)
Adrielly Alves da Silva 
Representante Regional JUFRA Norte 3 (Pará Oeste)
Maiara Bulhão de Souza
Regional JUFRA Nordeste A1 (Maranhão)
Mayra Caroliny de Oliveira Santos
Regional JUFRA Nordeste A2 (Ceará e Piauí)
Muhammed Hochay da Costa Araújo
Regional JUFRA Nordeste A3 (Paraíba e Rio Grande do Norte)
Erasmo Cláudio Cavalcanti Júnior
Regional JUFRA Nordeste B1 (Pernambuco e Alagoas)
Ana Kátia Santos da Silva
Regional JUFRA Nordeste B2 (Sergipe)
Patrick Martins Santos
Representante Regional JUFRA Nordeste B3 (Bahia Norte)
Thaís Mota Guerra
Regional JUFRA Nordeste B4 (Bahia Sul)
Deborah Patricia de Oliveira
Regional JUFRA Centro (Distrito Federal, Goiás e Tocantins)
Caroline Aparecida de Oliveira
Regional JUFRA Oeste (Rondônia, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul)
Sabrina Barbosa de Oliveira
Regional JUFRA Sudeste 1 (Minas Gerais)
Thiago Lima da Silva
Regional JUFRA Sudeste 2 (Rio de Janeiro e Espírito Santo)
Rodrigo Rocha da Paixão
Regional JUFRA Sudeste 3 (São Paulo)
Natalí Salvador da Rocha
Regional JUFRA Sul 1 (Paraná)
Gabriela Consolaro Nabozny
Representante Regional JUFRA Sul 2 (Santa Catarina)
Katherine Bianchini Esper
Regional JUFRA Sul 3 (Rio Grande do Sul) 

BAIXE A NOTA COMPLETA: Nota JUFRA do Brasil

domingo, 22 de março de 2020

INAFRA - Infância e Adolescência Franciscana




CIRCULAR N 01/2020

Minhas irmãs e meus irmãos da JUFRA e OFS do Brasil, Família Franciscana, organizações parceiras, nossa querida Infância e Adolescência Franciscana (INAFRA): 

Paz e bem!

Por muito tempo colocamos a Secretaria de Infância, Micro e Mini Franciscanos (IMMF) como nossa prioridade, com o intuito de melhor servirmos às crianças e adolescentes, que chegam em nossas fraternidades com o desejo de conhecer Jesus pela ótica do carisma franciscano.

No ano de 2018, o Secretariado Fraterno Nacional 2016/2019 lançou um material convidando todas as Fraternidades Locais para responderem ao questionário do Raio-X da IMMF, no sentido de recomeçar desde as bases, onde realmente acontece a JUFRA/IMMF, buscando conhecer mais como se encontrava o serviço e quais eram os anseios. 

Depois de um período de coleta de dados, vivenciamos nas seis áreas da JUFRA do Brasil as Escolas de Formação em IMMF, com o objetivo de aprofundarmos ainda mais as inquietudes dessa juventude que deseja ser presença fraterna junto aos pequenos. Nesse processo, destacamos a participação ativa de crianças e adolescentes.

No ano de 2019, mais precisamente nos dias 22 a 24 de novembro, em Brasília/DF, realizamos o II Seminário Nacional da Juventude Franciscana em IMMF, com o objetivo de agregar todos os trabalhos e indicar para a JUFRA do Brasil novas Diretrizes de Formação para as crianças e adolescentes. De tantos anseios, nasceu também uma Declaração Fraterno-Pastoral, com o objetivo de aprofundarmos a organização e a caminhada. 

Conseguimos com êxito aprovar esses dois documentos e, agora, serão apresentados de maneira oficial para toda a JUFRA do Brasil e organizações parceiras, com o desejo de serem realmente trabalhados e vividos de modo especial nas fraternidades locais. Esses documentos serão colocados em prática sob caráter experimental até 2022, quando realizaremos o Congresso Nacional Eletivo e Extraordinário, e após análise positiva de experiência, aprovarmos oficialmente esses facilitadores do nosso trabalho. 

Peço a Deus uma misericórdiosa benção a todos aqueles que se dedicaram e se dedicarão a colocar em prática esse serviço de lavar os pés dos irmãos; que Santa Rosa de Viterbo seja nossa inspiração de sermos cada vez mais uma juventude ousada, de modo especial na promoção e acompanhamento da - agora - Infância e Adolescência Franciscana.


terça-feira, 17 de março de 2020

NOTA: Orientações em virtude à prevenção do Coronavírus (COVID-19)




“Viu, sentiu compaixão e cuidou dele.” (Lc 10,33-34)“Conscientizar, à luz da Palavra de Deus, para o sentido da vida como Dom e Compromisso, que se traduz em relações de mútuo cuidado entre as pessoas, na família, na comunidade, na sociedade e no planeta, nossa Casa Comum” (CF 2020).


CLIQUE AQUI E BAIXE A NOTA: Nota JUFRA do Brasil

NOTA: Orientações em virtude à prevenção do Coronavírus (COVID-19)
“Onde houver desespero, que eu leve a esperança”
Irmãos e irmãs, paz e bem!

Em virtude da colaboração na prevenção e combate à transmissão da pandemia COVID-19 (Novo Coronavírus), a Juventude Franciscana do Brasil decide suspender todos os Congressos Regionais Eletivos e Avaliativos por tempo indeterminado. Esse esforço se soma à ação preventiva a partir de notas emitidas pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e pela Ordem Franciscana Secular do Brasil (OFS).

A juventude, em sua maioria, não faz parte do grupo de risco do vírus, mas não podemos ser egoístas diante do cenário. Assim como somos provocados pela Campanha da Fraternidade deste ano, com o lema: "Viu, sentiu compaixão e cuidou dele" (Lc 10,33-34), precisamos cuidar da vida de cada um de nossos irmãos e irmãs, seja dos que estão doentes, bem como ajudando a evitar que outros também fiquem. Se por um lado, podemos passar praticamente ilesos por essa pandemia, pessoas do nosso convívio familiar talvez não estejam nestas mesmas condições. A vida é compromisso de todos nós, e precisamos assumi-la com coragem! 

A suspensão e adiamento dos encontros e reuniões das fraternidades locais devem seguir as orientações das dioceses e dos governos municipais e estaduais, levando em consideração a situação de cada local. Salientamos que tal medida tem caráter preventivo, pelo compromisso da nossa juventude com toda a sociedade. Estamos seguindo as orientações que foram emitidas pelo Ministério da Saúde e Secretarias Estaduais de Saúde à toda população sobre os cuidados para evitar a propagação do vírus. Ressaltamos ainda a necessidade de mantermos a calma, redobrarmos a atenção quanto às notícias que circulam em diversas redes sociais, verificando as fontes e combatendo a disseminação de notícias falsas. O Ministério da Saúde disponibilizou um número de Whatsapp para receber informações virais, que serão apuradas pelas áreas técnicas e respondidas oficialmente sobre a veracidade. Qualquer cidadão pode enviar gratuitamente mensagens com imagens e textos recebidos pelas redes sociais para o número (61) 99289-4640, a fim de verificar a procedência das mesmas. Além de evitar a divulgação de mensagens falsas, precisamos denunciar essas atitudes.

“Tenhamos igual firmeza para discernir informações, desconsiderando notícias falsas, que se alastram com facilidade. Seu desejo é o de nos enfraquecer e abater. Não hesitemos, portanto, em buscar sempre a verdade das informações. Evitemos que o medo nos torne mais vulneráveis. Deus nunca nos abandona e, nos momentos mais difíceis, nós o podemos sentir ainda mais próximo em seu amor e sua paz” (Tempos de Esperança e Solidariedade - CNBB sobre o Coronavírus/2020).

É necessário uma maior atenção e cuidado às pessoas idosas e aos demais do grupo de risco. Devemos incentivar que as famílias ajudem a resolver trâmites burocráticos e fazer compras, por exemplo, buscando o resguardo dos nossos irmãos e irmãs mais vulneráveis diante do novo vírus. Precisamos estar à serviço de todos e todas que necessitam da nossa ajuda. 

“Os cuidados com higienização pessoal e do ambiente, bem como evitar aglomerações são regras que precisam ser seguidas por todos, com irrestrita atenção e cuidados, a partir da própria consciência, regida pelo bom senso e pela fraternidade” (Tempos de Esperança e Solidariedade - CNBB sobre o Coronavírus/2020).

Não podemos nos desesperar, tampouco ignorar a situação que estamos vivendo. Somos responsáveis pela nossa vida e pela vida de todos à nossa volta. Existem diversas medidas de prevenção ao contágio e precisamos estar atentos à elas, praticando-as e incentivando aos nossos próximos. Vamos reforçar a divulgação das orientações de prevenção e redobrar nossos cuidados.

Assim como rezamos na Oração pela Paz, especial para nós franciscanos e franciscanas, “onde houver desespero, que eu leve a esperança”. A esperança é o sentimento que nos faz enxergar um caminho a seguir, nos faz ter forças para enfrentar as crises e dificuldades. Diante de todo o cenário mundial e nacional, precisamos de muita fé, atenção e cuidados para superar este momento. Juntos, em fraternidade, somos mais fortes!

Fraternalmente, em nome do Secretariado Fraterno Nacional,


José Douglas Soares Cordeiro de Souza
Secretário Fraterno Nacional (2019/2022)

CLIQUE AQUI E BAIXE A NOTA:
Nota JUFRA do Brasil


sexta-feira, 6 de março de 2020

CNF 18º EDIÇÃO - MARÇO/2020


“Foi assim que o Senhor me concedeu a mim, Frei Francisco, iniciar uma vida de penitência: Como estivesse em pecado parecia-me deveras insuportável olhar para leprosos. 
E o Senhor mesmo me conduziu entre eles e eu tive misericórdia para com eles. 
E enquanto me retirava deles, justamente o que antes me parecia amargo se me converteu em doçura da alma e do corpo.” (Testamento, 1-3)


CLIQUE AQUI E BAIXE O ARQUIVO >>> CNF 18º EDIÇÃO - MARÇO 2018


Minhas queridas irmãs e meus queridos irmãos,
Paz e Bem!

Em mais um 6 de março, em que rememoramos a figura ousada e corajosa de Santa Rosa de Viterbo, celebramos o dia voltado às e aos jufristas, figuras ousadas e corajosas de nosso tempo. E, justamente para fundamentarmos e aprofundarmos essa postura profética, lançamos o 18º Caderno Nacional de Formação da Juventude Franciscana do Brasil! Abordamos, nesta edição, um assunto intrinsecamente ligado ao carisma francisclariano, à história da Igreja na América Latina e aos pedidos do Papa Francisco: “Juventude Franciscana e a Opção pelos Pobres”. 

Com fraterna atenção à necessidade de voltar o olhar às marginalizadas e marginalizados, este Caderno foi construído em completa sintonia com a recente canonização do Anjo Bom da Bahia, a Santa Dulce dos Pobres, e a Campanha da Fraternidade 2020, que nos apresenta o tema “Fraternidade e Vida: Dom e Compromisso” e lema que recorda a passagem do Bom Samaritano: “Viu, sentiu compaixão e cuidou dele” (Lc 10, 33-34). 

Na expectativa de que para nós também o amargo se torne doce e possamos sentir a Misericórdia, que é a face caridosa do Amor, em relação aos Pobres, o desenvolvimento desse material foi pensado para possibilitar uma reflexão profunda e transversal em relação à questão apresentada.

Para isso, a entrevista foi realizada com Glaucia Ferreira Lima de Brito, cuja caminhada é permeada pelas relações entre religião e academia. Isso porque estuda a Pastoral de Favelas, no Rio de Janeiro, e portanto tem muito a contribuir para a nossa discussão sobre as ferramentas de desconstrução do conceito e da pobreza em si, como nos é colocada no sistema político atual. 

Seguindo nessa perspectiva, nosso querido frei capuchinho Éderson Queiroz apresenta uma digressão bíblico-evangélico-franciscana acerca da Opção pelos Pobres, ressaltando a necessidade de atuação social cristã – e principalmente franciscana. Ele nos presenteia, ainda, com uma proposta de vivência (individual ou em fraternidade) para que, a partir da leitura do texto, possamos rezar, meditar, contemplar e atuar. 

A irmã e os irmãos da OFS Hélio, Admara e Francisco nos relembram a caminhada sinodal voltada à Amazônia e destacam o compromisso franciscano com aquelas e aqueles colocados à margem da sociedade. Nesse sentido, Eduardo Brasileiro também nos conta um pouco sobre o chamado do Papa Francisco para repensar a Economia que, hoje, é símbolo de um sistema que mata, exclui e degrada, mas, a partir do convite do Pontífice às e aos jovens do mundo inteiro, pode representar uma mudança efetiva desses paradigmas. 

Como de costume, as formadoras e os formadores regionais igualmente nos apresentam discussões - nos eixos humano, cristão e franciscano. Serão abordadas questões voltadas à realidade brasileira e latino-americana, atentando à mulher, às bases e à missão franciscana. 

O Secretariado Fraterno Nacional, dessa vez, nos deixa uma mensagem muito profunda sobre a importância da atuação de cada jufrista para a construção da fraternidade nacional, relembrando a importância de cada fraternidade local na construção da Civilização do Amor. Essa mesma ideia também circunda os textos apresentados pelas secretárias e secretários dos Serviços, que nos convidam a refletir em variadas perspectivas. 

Com mensagens de impulso dos nossos Assistentes Espirituais, o Caderno caminha para, ao fim, mostrar, na verdade, o (re)começo da Juventude Franciscana do Brasil. O encarte desta edição nos coloca oficialmente em contato com as novas diretrizes da Infância e Adolescência Franciscanas, apresentadas e explicadas pela Declaração Fraterno-Pastoral, sonho iniciado há muitos anos e construído a muitas mãos que, finalmente, se realiza. Cabe a nós, jufristas de todo o país, trilharmos os novos caminhos que são apontados nesses documentos!

O processo de construção de um Caderno de Formação reflete muito de como se dá a caminhada. Muitos planos são feitos, a maioria deles se concretiza, outros ficam na imaginação. Muitas pessoas são convidadas, algumas aceitam entusiasmadas, outras já não abraçam o ideal da mesma forma. Muitas novidades são propostas e algumas se tornam reais. 

Dessa vez, trazemos alguns textos também em áudio, objetivando uma dinamização do conteúdo, possibilitando algum nível de acessibilidade e tornando, sempre, a formação algo próximo das irmãs e dos irmãos, como deve ser. Também como em muitos momentos da nossa caminhada, a elaboração de um Caderno gera, ao final, sentimento de realização e gratidão de todas e todos que trabalharam para a conclusão, voltado para todas e todos que poderão aproveitar do conteúdo. 

Por isso, querendo sempre que o mundo inteiro conheça nosso ideal de vida, é importante que esse material alcance o maior número de pessoas possível. Vamos, juntas e juntos, fazer isso acontecer! 
Com o exemplo vivo da incansável Clara, que nunca desistiu de suas ideias e sempre acreditou na inspiração divina das suas aspirações, desejo, de coração, que todo o amor e a dedicação depositados nessas páginas possam atingir quem as lê. 

Com todo o carinho, da sua irmã menor,
Gabriela Consolaro Nabonzy
Secretária Nacional de Formação (2019-2022)


CLIQUE AQUI E BAIXE O ARQUIVO >>> CNF 18º EDIÇÃO - MARÇO 2018