:::: MENU ::::
  • CONVOCAÇÃO - JUFRA DO BRASIL NO PLEBISCITO CONSTITUINTE E GRITO DOS EXCLUÍDOS

  • JUFRA DO BRASIL LANÇA 8ª EDIÇÃO DO CADERNO NACIONAL DE FORMAÇÃO!

  • JUVENTUDE FRANCISCANA DO BRASIL REALIZA IV CONGRESSO NACIONAL EXTRAORDINÁRIO

  • ATENÇÃO REGIONAIS - CONTRIBUIÇÃO FRATERNA

  • 2ª ED DO BOLETIM NOS CAMINHOS DA HISTÓRIA!

#JUFRACOMONÃOSEAPAIXONAR?

domingo, 27 de julho de 2014

O Reino dos Céus foi o tema da reflexão do Papa Francisco, que antecedeu a oração mariana do Angelus deste domingo. Falando aos milhares de fiéis de diversas partes do mundo reunidos na Praça São Pedro, o Pontífice afirmou que “tudo adquire um sentido quando se encontra este tesouro, que Jesus chama ‘o Reino de Deus’”. E mais uma vez, sugeriu a todos a leitura diária de uma passagem da Bíblia, para "encontrar Jesus".
Ao meditar sobre o “Reino”, tema proposto pela Liturgia deste XVII Domingo do Tempo Comum, Francisco referiu-se às parábolas do tesouro escondido no campo e da pérola de grande valor, como “pequenas obras-primas”. E para explicar as reações que alguém tem quando descobre este “grande tesouro”, o Santo Padre usou como protagonistas o agricultor, “que arando, encontra o tesouro inesperado” e o mercador de pérolas, “que após longa procura encontra a pérola preciosíssima”. Ele ressalta, que nos dois casos, o dado relevante é que “o tesouro e a pérola valem mais do que todos os outros bens”. Assim, os dois, “se dão conta do valor incomparável daquilo que encontraram e estão dispostos a perder tudo para possuí-la”:
“Assim é para o Reino de Deus: quem o encontra não tem dúvidas, sente que é aquilo que buscava, que esperava e que responde às suas aspirações mais autênticas. E é realmente assim: quem conhece Jesus, quem o encontra pessoalmente, permanece fascinado, atraído por tanta bondade, tanta verdade, tanta beleza, e tudo numa grande humildade e simplicidade”.
O Pontífice observa como Jesus tenha tocado tantos santos e santas, que ao lerem o Evangelho “de coração aberto”, converteram-se a Ele. E cita São Francisco:
“Pensemos em São Francisco de Assis: ele já era um cristão, mas um cristão ‘água de rosa’. Quando leu o Evangelho, em um momento decisivo de sua juventude, encontrou Jesus e descobriu o Reino de Deus e então todos os seus sonhos de glória terrena desapareceram. O Evangelho faz você conhecer Jesus verdadeiro, o Jesus vivo; fala-te ao coração e transforma a tua vida. E então sim, deixa tudo. Você pode mudar efetivamente o tipo de vida, ou continuar a fazer aquilo que fazias antes, mas você é outra pessoa, você renasceu: encontrou aquilo que dá um sentido, sabor, luz a tudo, mesmo aos cansaços, aos sofrimentos, à morte. Tudo adquire um sentido quando encontras este tesouro, que Jesus chama ‘o Reino de Deus’, isto é, Deus que reina na tua vida, na nossa vida”.
“Jesus doou a si mesmo até a morte de cruz – disse o Papa – para nos levar do reino das trevas para o reino da vida, da beleza, da bondade, da alegria". E é impossível esconder a alegria de ter encontrado o Reino de Deus, pois ele transparece na vida do cristão:
O cristão não pode ter a sua fé escondida, porque ela transparece em cada palavra, em cada gesto, mesmo nos mais simples e cotidianos: transparece o amor que Deus nos deu mediante Jesus”.
Ao final do tradicional encontro dominical, o Santo Padre saudou os presentes, grupos provenientes de diversos países e um grupo de brasileiros. E despediu-se com “um bom domingo e bom almoço. Arrivederci!”
paz e Bem, irmãos amados!
Hoje com muita felicidade comemoramos o aniversário da nossa querida irmã Rebecca Nascimento


Secretário Nacional de Infância, Micro e
 Mini Franciscanos da Jufra do Brasil 


Beccinha, terás uma vida longa para ser vivida e que o Senhor seja um mestre a guiar seus passos para o bem, e para o amor a todos que te cercam. Quanta felicidade tê-la aniversariando! Que possa ter muitos anos de vida, abençoados e felizes, e que estes dias futuros sejam todos de harmonia, paz e desejos realizados. Que seu coração, esteja sempre em festa, porque você é um ser de luz e especial para todos nós. Que seu caminhar seja sempre premiado com a presença de Deus, guiando seus passos e intuindo suas decisões, para que suas conquistas e vitórias, sejam constantes em seus dias. Parabéns por hoje, mas felicidades sempre. Estamos felizes de mais uma vez ter ouvido seu SIM especial à JUFRA DO BRASIL! Buscando novos projetos e audaciosos sonhos para a Juventude Franciscana. Parabéns por hoje, parabéns por tudo o que é, parabéns por este dia de festa e prazer, por ser amiga e uma amiga que merece os melhores votos de sorte e paz. Que São Francisco e Santa Clara de Assis sejam sempre luz no teu caminho, e que Nossa Mãe Rainha seja tua protetora diária nas dificuldades da vida. Desejamos toda paz do mundo, felicidade e muito amor!

Parabéns, mana! Te amamos muito!
paz e Bem de todos os Jufristas do Brasil!

domingo, 20 de julho de 2014

Aos milhares de fiéis reunidos na Praça de S. Pedro para a oração mariana do Angelus o Papa, na sua reflexão neste XVI Domingo do Tempo comum, falou da parábola da boa semente e do joio, uma parábola que enfrenta o problema do mal no mundo pondo em evidência a paciência de Deus. A cena – explicou o Papa – tem lugar num campo onde o proprietário semeia o trigo mas numa noite chega o inimigo e semeia a cizânia. Os servos queriam arrancar imediatamente a erva daninha mas o proprietário disse que não, para que não suceda que, arrancado o joio se arranque também o trigo. E sobre o significado da parábola disse o Papa:
O ensino da parábola é duplo. Antes de tudo, ela nos diz que o mal que existe no mundo não vem de Deus, mas do inimigo, o Maligno. Este inimigo é astutosemeou o mal no meio do bem,de modo que é impossível para nós homens separá-los claramentemas Deus, no fim dos tempos, poderá fazê-lo.
O segundo tema, continuou o Papa é o da contraposição entre a impaciência dos servos e a espera paciente do proprietário do campo, que representa Deus. Nós por vezes temos pressa de julgar, classificar, colocar aqui os bons e para lá os maus …
Mas Deus sabe esperarEle olha para o "campo" da vida de cada pessoa com paciência emisericórdiaele vê muito melhor do que nós a sujeira e o mal, mas também vê os germes do bem e espera com confiança que amadureçam. Deus é paciente, sabe esperar.
Para o Papa Francisco a atitude do proprietário é a da esperança fundada na certeza de que o mal não tem nem a primeira nem a última palavra. E é graças a esta esperança paciente de Deus que a própria cizânia se pode tornar, ao fim, bom trigo. Mas também advertiu:
Mas cuidado: A paciência evangélica não é indiferença ao malnão se pode fazer confusão entre o bem e o mal! Diante da cizânia presentes no mundo, o discípulo do Senhor é chamado a imitar a paciência de Deus, e a alimentar a esperança com o apoio de uma fé inabalável navitória final do bem, que é Deus.
No dia da colheita final, disse ainda o Papa, o juiz será Jesus, aquele que semeou a boa semente e se tornou ele mesmo o "grão de trigo", que morreu e ressuscitou. E nós todos seremos julgados com a mesma medida com a qual teremos julgado os outros. E o Papa terminou invocando a Virgem Maria para que nos ajude a crescer na paciência, esperança e misericórdia.
Depois do Angelus o Papa manifestou uma vez mais profunda preocupação pela situação dos cristãos no Iraque e Médio Oriente em geral:
Soube com preocupação as notícias que chegam das comunidades cristãs em Mosul (Iraque) e outras partes do Médio Oriente, onde eles viveram desde o início do cristianismocom os seus concidadãos, oferecendo um significativo contributo ao bem da sociedade. Hoje são perseguidos, os nossos irmãos, são mandados embora, devem deixar as suas casas sem ter a possibilidade de levar nada consigo. Asseguro a estas famílias e a estas pessoas a minha proximidade e a minha constante oração. Caríssimos irmãos e irmãs, tão perseguidos, eu sei quanto sofreis, eu sei que sois despidos de tudo, estou convosco na fé naquele que venceu o mal. E a vós aqui na Praça, e a todos os que nos seguem … convido-vos a recordá-los na oração. Vos exorto também a perseverar na oração pelas situações de tensão e conflito que persistem em diversas partes do mundo, especialmente no Médio Oriente e na Ucrânia. Que oDeus da paz inspire em todos um autêntico desejo de diálogo e reconciliação. A violência não se vence com a violência. A violência vence-se com a paz!
E por último o Papa saudou cordialmente a todos os peregrinos, vindos da Itália e de outros Países, tendo desejando a todos bom domingo e bom almoço.
Entre em Contato com a Jufra do Brasiljufrabrasil@gmail.com